IDK, John Gómez, Kedr Livanskiy e mais…

Um inusitado compilado de músicas brasileiras, o encontro perfeito entre o Pop e o Techno e variantes do que pode ser o futuro do Hip Hop neste Monkeyloop

287 total views, no views today

Fotos: Arte: Solo.etc

PARA OUVIR

IDK – Is He Real?

IDK se conecta com a cena contemporânea do Hip Hop de forma particular. O gênero que já se tornou tão expansivo e parece abraçar cada vez mais diferentes formas de expressão ainda consegue ganhar novos ares aqui. Is He Real?, o mais novo trabalho do rapper chega mais perto do romantismo torto de baladas presentes nos trabalhos de Tyler, The Creator e Kendrick Alone, mas também das batidas sintéticas do novo Hip Hop de nomes como Vince Staples. No meio desse caminho, nos questionamos se realmente IDK é totalmente original ou uma variação de todos esses artistas, criando algo à sua maneira. De qualquer maneira, o resultado final é uma expressão radical do que o gênero pode significar em tempos de internet. Um disco feito sob medida para 2019. (Gabriel Rolim)

Kedr Livanskiy – Your Need

Um Pop etéreo com Techno-House – a junção desses dois estilos resumem bem o que a musicista russa Yana Kedrina explora em seu mais recente registro de inéditas. Your Need é um álbum mais profundo, ousado e divertido quando se compara com Ariadna (2017). Cantando em russo e em inglês, a produtora deixa evidente a procura de inspirações no passado, mas ao mesmo tempo, te enraíza no presente com uma obra diversa e desafiadora. Como uma boa festa, você vai torcer para que este álbum não termine. Inimigos do fim. (Ana Laura Pádua)

Céu – APKÁ!

É muito interessante como Céu construiu uma discografia de reinvenções. A cada lançamento, parecíamos conhecer um novo lado seu – como a romântica de “sofrência” de Caravana, Sereia, Bloom (2012) ou a noturna-dançante de Tropix (2016). APKÁ!, no entanto, parece querer somar as suas diferentes facetas. Temos a Céu da MPB da beira do mar em “Nada Irreal”, a do Indie apaixonado em “Rotação” e a da grandiosidade em arranjos, letras e sentimentos em “Corpocontinente”. O que o fã leva da experiência é a sensação de um encontro com muito daquilo que já conhecíamos da cantora, e do que queremos perceber em um trabalho seu, incluindo a excelência em todos os aspectos. (André Felipe de Medeiros)

John Gómez – Outro Tempo

Quando eu ouvi as compilações Outro Tempo e Outro Tempo I, tive uma sensação parecida com a que tenho quando vou a terapia. Isso porque John Gómez, DJ espanhol radicado na Inglaterra, é um pesquisador musical especialista em sons brasileiros e esses dois discos organizados por ele reúnem pérolas do país em que eu, de fato, nasci e nunca tinha ouvido antes. É muito interessante entender esse ‘olhar estrangeiro’ de um terceiro distante e perceber como ele se manifesta nessa seleção que ignora obviedades, pula os clássicos e está focada tão somente nos espasmos de maior originalidade. Algo como acessar um subconsciente musical brasileiro. (Pedro João)

PARA VER E OUVIR

Georgia – “Never Let You Go”

Tyler, The Creator – “A BOY IS A GUN*”

Vagabon – “Water Me Down”

288 total views, 1 views today

Autor: