Ouça: Thundercat

Explorando ao máximo o Jazz Fusion, Stephen Bruner consegue criar uma musicalidade incrível ao aproximar tantos outros estilos como R&B, Soul, Folk e Pop

 3,521 total views

Tentar explicar a variedade sonora de Thundercat sem antes explicar o background de seu criador é uma tarefa dificílima, portanto vamos voltar para o começo do novo século e rastrear por onde o baixista Stephen Bruner passou antes de finalmente montar seu projeto solo.

Sua curta carreira em uma boy band, chamada No Curfew, não arruinou a chance do músico de ser convidado a empunhar seu baixo no coletivo Suicidal Tendencies – de certo ele não faz parte da formação original, mas foi convidado a se juntar a um dos grupos mais malucos dos últimos tempos (conseguindo fundir Funk, Hardcore Punk e Trash Metal em seu som). Fora isso, o músico colaborou com uma infinidade de artistas durante toda a última década, músicos de alto gabarito, como Erykah Badu, Shafiq Husayn, Bilal, Austin Peralta e, talvez o mais importante deles, Flying Lotus – que além de amigo, se tornou produtor do primeiro disco de Bruner.

Essa infinidade de colaborações, dentro dos mais variados estilos, seria o pavio que queimaria até a chegada do explosivo The Golden Age of Apocalypse, disco lançado em 2011, que conta também com infinidade de participações e gêneros coexistindo dentro de uma obra incrível. Tendo o Jazz Fusion como coluna dorsal, o projeto engloba outras tantas sonoridades vindas dos lugares mais improváveis – há um tanto das colagens eletrônicas, também jazzísticas, de Flying Lotus, boas doses de R&B e Soul, além da presença, em menor grau, do Folk e Pop. Pode soar estranho à primeira vista, mas ao ouvir você vai entender a beleza sonora dessa grande salada estilística que o Thundercat produz.

A musicalidade de Bruner é amplamente comparada com a de jazzistas clássicos como George Duke e Jaco Pastorious –essa inspiração de Duke pode de fato ser vista pelo cover de For Love (I Come Your Friend) presente em The Golden Age of Apocalypse -, mas ao mesmo tempo o músico busca explorar seus próprios caminhos. O Jazz, aqui, ganha o acompanhamento de uma aura espacial e ótimos grooves e solos de baixo que só Stephen e seu estilo único são capazes de produzir.

Para este ano, Thundercat já produz outro disco, desta vez, intitulado somente como Apocalypse e que é esperado para o dia 9 de julho. Mais uma vez Flying Lotus assina a produção e podemos ver o resultado dela pela primeira faixa divulgada, nesta semana, pelo músico (e você pode ouvi-la logo acima).

 3,522 total views

ARTISTA: Thundercat
MARCADORES: Ouça

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts