Ouça: Tubelord

Experimente a sonoridade cheia de matemática e energia do grupo inglês que, junto a outras bandas, ajudou a trazer o Math Rock novamente aos holofotes

1,710 total views, 1 views today

Fazendo uma comparação bem estranha: de certa forma o Tubelord é parecido com o Japandroids, não na sonoridade nem nos estilos ou temáticas de suas músicas, mas na frenética energia que consegue botar em suas composições. Ambas fazem aquele tipo de som com melodias incrivelmente Pop escondidas atrás de outros estilos, que é bem possível que vá ficar na sua cabeça por alguns dias e que você vai se flagrar assoviando no banho.

Mas, ao contrário da crueza do duo americano, o Tubelord tem um som muito bem trabalhado e produzido com influências do Math Rock e Math Pop, mas simplificando esses dois gêneros que podem dar um nó na cabeça de quem os ouve. As músicas do quarteto são bons exemplos de como o estilo está se reinventado em formas mais brandas e com um apelo popular muito maior. Mesmo não tendo um paralelo tão grande entre elas, Foals e Maps & Atlases surgiram quase que na mesma época fazendo uma releitura do mesmo gênero, cada uma seguindo uma linha bem diferente e, de certa forma, integrando uma cena do estilo.

A história da banda começa com o vocalista e letrista Joseph Prendergast, cuja voz carrega muito da identidade da banda, que, ainda nos tempos de escola, juntou-se a amigos e começaram a passar seu tempo livre gravando algumas músicas. Pouco tempo depois, a banda já tinha material de qualidade para lançar seus primeiros EPs, que não tardaram em sair. Feed Me a Box of Words foi o primeiro deles e tinha um peso bem maior do que o que se vê hoje em sua música e fazia uma mistura muito boa entre o Indie Rock e o Post-Hardcore.

Durante todo o ano de 2008 a banda lançou singles e EPs que iam mostrando aos poucos o caminho que iam seguir em seu primeiro disco. Our First American Friends (2009) apresenta poucas novidades além do que a banda já vinha mostrando em nos seus lançamentos, mas é um ótimo disco que tem uma energia incrível do começo ao fim e que se diferencia do resto da cena exatamente por isso.

Nessa época, a banda recebeu boas notas e resenhas em sites e blogs especializados e o single Propeller foi um dos grandes responsáveis por levar o disco às paradas.

Os dois anos que separaram Our First American Friends e ROMANCE não foram tão produtivos quanto os primeiros anos da banda. Neste meio tempo, somente dois EPs foram lançados: um deles sendo uma versão “para os avós” com versões acústicas de seu debut e o incrível Tezcatlipōca que foi produzido pelo dinossauro do Math Rock Steve Albini e serviu como uma espécie de aperitivo para o disco de 2011.

ROMANCE foi um avanço e tanto para banda, ele é menos abrupto que seu antecessor e conta com o sintetizador que dá uma cara bem diferente à sonoridade do grupo. My First Castle foi um dos grandes hits do álbum e o responsável por apresentar a banda a quem ainda não a conhecia.

Se você já conhece o estilo, essa pode ser uma banda interessante de se escutar, porque foge dos arranjos puramente técnicos e coloca mais emoção e espontaneidade em sua suas músicas. E, se você não conhece nada do gênero, esta pode ser uma ótima porta de entrada com uma interpretação mais branda do Math Rock e com uma energia incrível da Tubelord.

1,711 total views, 2 views today

ARTISTA: Tubelord
MARCADORES: Ouça

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts