Resenhas

21 Savage – Issa Album

Disco de estreia do rapper é uma coleânea do que há de mais exaustivo no Hip Hop atual

 3,688 total views

Ano: 2017
Selo: Slaughter Gang/Epic Records
# Faixas: 14
Estilos: Hip-Hop, Sample Based, Trap
Duração: 56:30
Nota: 2.0
Produção: 21 Savage, Cubeatz, DJ Mustard, Jake One, Metro Boomin, Pi'erre Bourne, Sam Wish, Southside, Twice as Nice, Wheezy, Zaytoven

21 Savage tem seguido um modelo padrão de ascensão dentro do Hip Hop americano. Com algumas demos tímidas em seu perfil no SoundCloud, o rapper e produtor norte-americano construiu uma sólida escada de parcerias em registros de outros compositores que, por sua vez, ajudaram-no a compor seus primeiros EPs. Um exemplo claro disso, e talvez a razão de sua popularidade, é Savage Mode, uma parceria com Metro Boomin que integra o single X, sua primeira canção a atingir a marca de 500 mil cópias vendidas. Assim, um ano após seu grande sucesso, 21 Savage finalmente nos mostra o que vem preparando há quase dois anos: seu disco de estreia, ISSA Album. Mas, ao invés de aproveitar esta oportunidade para nos mostrar o diferencial de sua sonoridade em meio a um cenário tão diverso quanto o Hip Hop, o rapper acaba evidenciando que as diversas parcerias que o ajudaram outrora foram, na verdade, fontes para uma cópia descaradamente preguiçosa.

ISSA Album revela o pior do Hip Hop atual: a hiper reprodução daquilo que faz sucesso. Em quatorze faixas, os produtores deste trabalho usam exaustivamente uma célula rítmica usada nas batidas de Future e Young Thug. Embora as faixas instrumentais possam dar uma sensação de que as músicas são diferentes entre si, é apenas uma técnica mal utilizada para disfarçar uma preguiça criativa extensa. É difícil entender se essa batida é algo que 21 Savage quer referenciar muito por ser uma influência grande em sua obra, ou se sua contribuição para o Hip Hop de hoje se resume a copiar modelos já existentes.

Ficamos inclinados a acreditar que o registro se encaixa na segunda categoria, uma vez que quase todas as faixas possuem os mesmos timbres de baixo e mesmas peças de bateria. Além disso, há constantes intervenções de “bordões” de outros rappers em sua música, como o famoso “Metro Boomin want some more, nigga”, que chegam a ser bastante irritantes, como se o rapper se aproveitasse do sucesso alheio e o adaptasse como uma onomatopeia em suas faixas. Mesmo nos singles que mais bombaram deste disco, como Bank Account, o flow das rimas de 21 Savage são bastante monótonos, fato que apenas comprova o quanto o rapper chupou de todas as referências que pode para produzir ISSA Album.

Dessa forma, temos um registro bastante questionável em nossas mãos, uma vez que ele só confirma o quão vulnerável o Hip Hop é dentro da indústria musical. Com batidas extremamente repetitivas, pouquíssima inventividade, temas escassos e referências copiadas exaustivamente, 21 Savage faz uma estreia pouco repercussiva e que provavelmente agradará aos fãs do cenário que Future e Migos fundaram: de batidas repetitivas e letras razas. Um passo para trás dentro do gênero.

(ISSA Album em uma faixa: Bank Account)

 3,689 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Young Thug, Travis Scott, Future
ARTISTA: 21 Savage
MARCADORES: Hip Hop, Sample Based, Trap

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.