Resenhas

A Trip to Forget Someone – A Trip to Forget Someone

Banda paraense de um homem só propõe uma viagem introspectiva ao som de belas guitarras em músicas instrumentais para o ouvinte superar seus traumas

 1,591 total views

Ano: 2012
Selo: Independente
# Faixas: 9
Estilos: Post-Rock, Prog-Rock
Duração: 26:15
Nota: 3.5
Produção: Ivan Jangoux

Quanto tempo leva para se esquecer alguém? Certamente, 26 minutos não seriam o suficiente, mas é essa a duração de A Trip To Forget Someone, primeiro disco do projeto que leva o mesmo nome e que tem como temática uma viagem feita para superar a lembrança de uma pessoa.

E por menos tempo que isso seja, é o bastante para ou te distrair das memórias ruins ou te permitir uma viagem introspectiva para acelerar a cura do trauma. Parece ser essa a proposta do músico paraense Erik Mendes, que sozinho fez todas as composições e tocou todos os instrumentos do álbum.

São faixas curtas e todas muito bonitas, com progressões interessantes e melodias bem construídas. Não é difícil se perder em cada uma delas. Cada música parece uma lembrança que vem e dá uma nova perspectiva para o tal processo de esquecer alguém – algo meio Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças.

Se ele começa tímido com Unreal, termina apoteótico com Surreal. A semelhança nos dois nomes não é nenhuma coinscidência, já que elas são basicamente continuação uma da outra. Entre uma e outra, os destaques ficam com as belas Flores, RR e Innisfree.

A curta duração da obra contribui para tornar mais dinâmica a experiência de ouvir um disco instrumental, ao mesmo tempo que as faixas podem soar muito parecidas entre si. De qualquer forma, ficam a comprovação de um talento que ainda tem muito a nos oferecer e a chance de uma boa trilha sonora para a catarse de superar alguém que te fez mal.

 1,592 total views

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.