Resenhas

Alexis Taylor – Nayim from the Halfway Line

Líder do Hot Chip experimenta bastante em seu novo EP solo e consegue agradar os fãs do grupo.

 1,923 total views

Ano: 2012
Selo: Domino
# Faixas: 4
Estilos: Eletrônica, Electro-Pop
Duração: 24:30
Nota: 3.0
Produção: Alexis Taylor

Alexis Taylor é mais conhecido pelo seu trabalho diante do importantíssimo e criativo grupo de Música Eletrônica Hot Chip. Após lançar um dos melhores discos de 2012, o vocalista e líder da banda resolveu lançar um EP solo mais experimental intitulado Nayim from the Halfway Line.

O nome do EP tem suas raízes fincadas no mundo futebolístico e se baseia em um gol marcado pelo jogador Nayim do Real Zaragoza contra o Arsenal no já extinto campeonato UEFA Cup Winner’s Cup. Jogo empatado, prorrogação e um gol do meio do campo em David Seaman (aquele mesmo que levou um gol antológico do Ronaldinho na Copa do Mundo de 2002) selaria a vitória do time espanhol. No entanto, além do nome, o disco não tem mais nenhuma referência ao esporte mais popular da Terra.

Alexis denomina o seu trabalho como “composto por grooves pesados”. Ao longo de quatro faixas, podemos ver muita experimentação, brincadeiras com sintetizadores e um lado menos Pop do vocalista. Rhodes Dream abre com uma bateria eletrônica e um baixo sintético antes de serem expostos a um sintetizador em loop que dá o tom da canção. A voz de Taylor não remete em nada àquela usual de seus trabalhos conjuntos e o refrão com backing vocals agudos misturados a um teclado com um bom timbre são o ponto alto desta curta, porém relevante, música.

You Want Me tem toques mais caribenhos, devido à percussão concentrada no chimbal e teclados que nos trazem imagens de um bar na praia com uma banda tocando ao fundo. Tudo bastante experimental, mas Pop ao mesmo tempo, ao alternar entre os vocais açucarados repetindo “you want me, you want me” e linhas de improviso no sintetizador.

Hot Squash é o “groove pesado” abordado por Taylor. Baixo em oitava, guitarra Funk repetida ao fundo, e uma bateria que brinca com os tons fazem desta a melhor canção do trabalho. O vocal finalmente nos lembra Hot Chip e a música poderia muito bem estar em um lado B de algum trabalho antigo do grupo. Sua duração de mais de seis minutos abre espaço para que cada instrumento seja experimentado na dose certa, com ênfase maior nas belas linhas de guitarra.

Jesus Birthday, infelizmente, é chata. Em nove minutos de música, vemos a maior experimentação de todo o EP ir por água abaixo em uma faixa instrumental sem muito sentimento. Taylor parece brincar com um aplicativo de música eletrônica para iPad sem conseguir chegar a lugar nenhum. Uma pseudo tentativa de criar uma música ambiente não consegue convencer e dificilmente você conseguirá escuta-la mais do que uma vez.

Alexis é talentoso e o Hot Chip não nos deixa esquecer disso. Em seu segundo trabalho solo, vemos uma necessidade de uma maior experimentação, algo que talvez saísse dos parâmetros do seu grupo principal, conseguindo no geral agradar aos seus fãs. No entanto, só nos faz criar mais expectativas para quando o mesmo, diante de sua banda, desembarcar em terras tupiniquins para o Lollapalooza 2013 em um dos shows mais esperados do festival.

 1,924 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Opossum, LCD Soundsystem, Hot Chip
ARTISTA: Alexis Taylor
MARCADORES: Eletrônica

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.