Resenhas

Andy Stott – Luxury Problems

Minimalista e etéreo, Luxury Problems foi feito para se ouvir nos detalhes que trazem ao ouvinte uma carga sensorial contagiante.

 2,944 total views

Ano: 2012
Selo: Modern Love
# Faixas: 8
Estilos: Dub Techno, Minimal, Ambient Music
Duração: 48:44
Nota: 4.0
Produção: Andy Stott

Após lançar ano passado um EP, Andy Stott nos traz agora mais um álbum de estúdio, o intitulado Luxury Problems, que conta com 8 faixas belamente produzidas, mantendo sua qualidade que já é esperada.

Curioso percebermos as variações sonoras de Andy ao longo dos discos até chegarmos à Luxury Problems. Se em Merciless o uso de batidas eletrônicas de House eram mais presentes, Unknow Exception, de 2008, viria com uma cara similar ao que temos agora neste último álbum, sendo mais sublime e brando. Entretanto, Passed Me Bye, lançado ano passado, vem com uma roupagem bem densa, agressiva e pesada. Tudo isso nos mostra a qualidade de produção de Andy dentro do Dub Techno, o que faz dele um dos grandes nomes do estilo.

Uma metáfora que pode ser feita com Luxury Problems é de que este parece ser uma botão de flor, que se abre aos poucos mostrando o seu núcleo, algo mais intrínseco, até conseguir se expor de maneira completa. Numb, a faixa de abertura, começa sendo o núcleo. Com uma sonoridade nebulosa com sussuros intimistas, a faixa guia o ouvinte à uma experimentação etéra e até certo ponto mística. Os vocais femininos de Alison Skidmore – professora de piano de Stott – é trabalhada, não só nesta faixa mas em todo o disco, como um instrumento, gerando-se loopings e sobreposições.

Dadas as primeiras faixas, o disco se torna mais íntimo do ouvinte e se abre mostrando músicas mais pulsantes, mas sempre mantendo a atmosfera sutil como na faixa homônima ao disco que apresenta um groove e intervenções sonoras interessantes no decorrer dos minutos. Logo a seguir Up The Box com suas percurssões marcantes e energéticas juntas com batidas da bateria eletrônica representa a explosão máxima do álbum.

Após essa abertura, o disco volta a se encolher com a última faixa Leaving, que é marcada pela bela voz de Alison que aparece com um certo toque erudito, assim como percebido em Lost and Found, fechando muito bem a obra.

A utilização de camadas e texturas sempre pautadas no minimalismo, são um convite para se ouvir do álbum usando fones de ouvido a fim de absorver toda a carga elementar sonora que Andy adiciona em cada uma das faixas de Luxury Problems tornando esse disco incrivelmente sensorial.

 2,945 total views

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).