Resenhas

Apanhador Só – Acústico-Sucateiro

Toda a irreverência da banda é potencializada pelos novos arranjos e sonoridade construída a partir de sucatas, com uma nova roupagem para as já conhecidas canções. Um violão, um par de sucatas e boas letras são tudo que eles precisam

3,798 total views, no views today

Ano: 2011
Selo: Independente
# Faixas: 9
Estilos: Indie Rock, Indie Pop
Duração: 28:
Nota: 3.5
Produção: Apanhador Só

Na onda da reciclagem e sustentabilidade, o Apanhador Só faz um disco inteiro usando sucatas. Tudo bem, não é uma ideia tão nova assim, mas a irreverência das letras e o instrumental sucateiro provaram como a cara da banda e as músicas do disco homônimo, de 2010, ganharam um banho de frescor com a nova roupagem.

Acústico-Sucateiro traz nove músicas, sendo uma delas inédita. Versões um tanto inusitadas ganham vida e forma com ralador de queijo, pianinho de brinquedo, cantil de escoteiro, conduíte, a tradicional bicicletinha (símbolo do Apanhador Só) e mais qualquer coisa que a banda encontre que faça um som legal, sendo o violão o único instrumento convencional ali. Além do formato digital, esse disco também foi lançado em fitas cassete. Isso mesmo, fitas cassete. Seguindo o modelo politicamente correto, as fitas calibradas com o disco são trocadas por outras cinco fitas sem nada.

O sucateirismo já estava presente na banda há muito tempo, sempre trabalhado por Carina Levitan. Com sua saída, a banda perdeu essa característica e só depois de muito tempo foi recupera-la com uma versão inocente de Nescafé, daí viram que isso poderia dar certo, e eis que surge o Acústico-Sucateiro.

O descompromisso e a descontração tornam o projeto extremamente divertido e interessante. As brincadeiras e conversas da banda durante as gravações foram para o disco, além dos instrumentos não passarem nenhuma seriedade.

Jesus, O Padeiro e O Coveiro perde o peso das guitarras, que tinha no álbum Apanhador Só, e ganha um telefone de brinquedo no lugar; Maria Augusta recebe um tom de baile funk do agreste; Balão-de-vira-mundo ganha um arranjo emprestado do tango; Na Ponta dos Pés é a única música original do disco, que acaba com a caótica Peixeiro, e o que já era divertido no disco elétrico se intensifica no modo acústico.

Com uma estética bem diferente e um tom de brincadeira, o Acústico-Sucateiro se mostrou um dos discos mais divertidos do ano. O intuito do disco é claramente entreter tanto os fãs, quanto os próprios músicos, e com certeza esse papel foi cumprido.

3,799 total views, 1 views today

ARTISTA: Apanhador Só
MARCADORES: Indie Pop, Indie Rock

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts