Resenhas

Aphex Twin – Computer Controlled Acoustic Instruments pt2 EP

Trabalho segue linha de genialidade do produtor e consegue surpreender fãs de longa da data

1,957 total views, no views today

Ano: 2015
Selo: Warp Records
# Faixas: 13
Estilos: Eletrônica, Experimental
Duração: 28:00
Nota: 4.0
Produção: Aphex Twin

Aphex Twin comunica-se atráves de máquinas, computadores e formas musicais programadas sinteticamente desde pequeno. Fora da curva de entendimento para a maioria de seus contemporâneos das décadas de 1980 e 1990, o produtor talvez seja mais bem compreendido atualmente quando sua forma de expressão já está muito mais palpálvel a uma população que consome tecnologia diariamente. Entretanto, enquanto nos tornamos dependentes tecnológicos, mas ainda humanos, é fácil confundir Richard com um ser simbiótico que compõe e vive quase que indissociável das máquinas.

Seu retorno triunfal em 2014 serviu para demonstrar a todos que, enquanto estivermos vivendo em tempos musicais cada vez mais eletrônicos, seja em termos de produção, composição ou criação, Aphex será a referência. Seu espírito workaholic o fez em pouco tempo disponibilizar um disco, Syro, e agora o EP Computer Controlled Acoustic Instruments pt2, que deve ser seguido por uma grande quantidade de lançamentos inéditos, experimentos e outras formas de expressão do produtor. Como seu nome diz, temos aqui computadores controlando instrumentos acústicos, mas talvez não da forma como você imagina.

Se tal “controle” pode ser possível atualmente a partir de emulações de instrumentos em programação MIDI, ou seja, podemos utilizar plugins para conseguir o timbre de bateria de John Bohnam (Led Zeppelin), por exemplo, vemos que aqui as coisas são diferentes. Aphex, ao melhor estilo de inventor maluco, criou uma série de máquinas que vem acompanhando o seu processo criativo há bastante tempo. Estas são na verdade robôs controlados por computador que tocam bateria e piano, entre outros instrumentos, e é por isso que o EP chama tanta atenção: Richard consegue extrair groove, organização e feeling de invenções programadas por ele.

Como as faixas diskhat1 e diskhat2, curtas e interessantes pela sua sonoridade, mas ainda mais surpreendentes quando descobrimos o seu processo de criação. Semelhante ao seu excelente disco de 2001, Drukqs, no qual a música acústica é o tema quase que central em arranjos de piano melancólicos, temos aqui exemplos da humanidade de Aphex emulada através de máquinas nas sentimentais piano un10 it happened e piano un1 arpek. Entretanto, o curto EP se propõe a passar uma tensão grooveada extensa, como se pudessemos ouvir o que relógios, robôs e organismos sintéticos tem a dizer, como na folclórica DISKPRET1, na organizada DISKPRET4 e na funkeada diskhat ALL prepared1mixed13 – melhor momento, de longe, do trabalho.

No século 20, um dos maiores compositores de música experimental com instrumentos não convencionais foi John Cage, um artista que procurou também tocar instrumentos usuais de formas não convencionais. Bastante ligado à interdisciplinaridade que a música pode ter, teve seu trabalho incorporado a exposições de arte, instalações eletroacústicas e novas formas de se criar e exibir música. Se este EP fosse pano de fundo de uma exibição em algum Museu de Arte Moderna ou Bienal, estaria plenamente ligado a uma instalação com robôs programados por computado fazendo música.

Talvez por isso temos uma pequena diferença entre Cage e Aphex Twin, pois, enquanto o primeiro foi um dos defensores da música aleatória, ou seja, música captada, sentida e criada a partir de elementos não programados, Richard leva tal conceito ao outro lado, controlando e programando, mas também criando música de formas não convencionais. Interessantíssimo, experimental e voltado aos fãs do produtor que queiram se aprofundar mais ainda na música Eletrônica única criada por ele, Computer Controlled Acoustic Instruments pt2 é um EP que o coloca cada vez distante da maioria de seus contemporâneos, nos levando a enaltecê-lo cada vez mais como um mito genioso.

1,958 total views, 1 views today

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.