Resenhas

Basement Jaxx – Junto

Duo retorna em um disco que trabalha diversas vertentes da EDM atual, mas sem perder-se na dança

 1,824 total views

Ano: 2014
Selo: Atlantic Jaxx, PIAS Recordings
# Faixas: 13
Estilos: EDM, House, Pop
Duração: 52:26
Nota: 3.0
Produção: Basement Jaxx
SoundCloud: /tracks/155826480

A volta de Basement Jaxx após cinco anos de Scars e Zephyr – trabalhos análogos, mas distintos, que exploravam nuances da música Eletrônica cada um a sua maneira – prova que os anos 1990 são a década mais relevante do momento. O duo, que saiu do underground do sul de Londres para ganhar o mundo com sua abordagem tropical e Pop da House Music, retoma as atividades em um cenário já estabelecido e que fora construído por ele mesmo. Nomes como Disclosure, Flume e Porter Robinson estão no ouvido das pessoas e a EDM se tornou um dos maiores expoentes da música como um todo, permitindo que remotamente produtores consigam produzir de suas casas faixas que cheguem a uma multidão.

O “porão” – termo que poderia tanto caracterizar o início das produções de Felix Buxton e Simon Ratcliffe como o local de suas primeiras exibições – agora é acessível a todos, mas ainda a experiência é um fator marcante, algo que ambos querem demonstram em Junto. Por isso que o seu leque de ideias de seu sétimo disco passa pelo Trap, Hip Hop, Funk, House, Pop: são como dizer “estou aqui e sei muito bem fazer este trabalho”. Power to the People é o que temos de mais comum nas baladas de EDM atuais, mas com os toques tropicais já conhecidos em um gostinho de Brasil que parece ser ainda mais proposital após a Copa do Mundo no nosso país.

Esse clima é retomado em Mermaid of Salinas, que, mesmo sendo um esteriótipo de música latina, diverte mas provavelmente deve ter o seu nicho de apreciação nos territórios temperados, algo que ocorre também com Rock This Road. Logo, curiosamente, o clima festivo característico do grupo é o que menos atrai aqui, o que é certamente algo benéfico – demonstra atenção ao que está rolando na música atual pelo grupo – como a Pop grudenta We are Not Alone, música que certamente poderia ter sido interpretada por Katy Perry. A precisa faixa de Trap Buffalo é também um ótimo Drum & Bass nos moldes dos anos 2000 e a sua mistura atrai um outro público, destoando do resto da obra mas ainda sim chamando a atenção.

Os melhores momentos acontecem, no entanto, quando o duo faz o que sabe fazer de melhor: House com toques Pop. Never Say Never vai figurar nas próximas vezes que você cair nas pistas de dança e certamente vai agradar quem estava de olho nos trabalhos Eletrônicos que Chet Faker às vezes coloca as mãos. We Are Not Alone é outra faixa com toques de Pharrel Willians, mas com vocais femininos, enquanto What’s the News mostra de onde que o Disclosure puxou as suas inspirações. No entanto, o melhor momento acontece na groovy e funkeada Summer Dem – música que poderia muito ter sido feita no epicentro do R&B e Hip Hop da Costa Oeste norte-americana e traços de Missy Elliot e até mesmo Destiny Child são sentidos e muito bem-vindos aqui.

O retorno de Basement Jaxx é justo e preciso em Junto, no entanto o que muitas vezes ocorre no disco é tantas influências acabarem confundindo o ouvinte, que provavelmente buscará escuta-lo após um single e irá se deparar com diversas faixas que não conversam entre si pelos ritmos e sim pela proposta dançante. Ao mesmo tempo, se você precisar de uma playlist que possa fazer uma festa e que não a pare em nenhum momento, o sétimo álbum do duo serve para manter os animos exaltados a todo instante, demonstra que a sua volta é sim relevante e que os anos 1990 ainda vão nos ensinar muitas coisas.

 1,825 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Flume, Porter Robinson, Disclosure
ARTISTA: Basement Jaxx
MARCADORES: EDM, House, Pop

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.