Resenhas

Battles – Gloss Drop

Mesmo com a saída de Tyondai Braxton, o agora trio fez um disco sensacional, até mesmo superando os discos da época que ainda tinham um vocalista. Regados a muito Math Rock e experimentalismo, a mistura ganha um tom pop e acessível

1,556 total views, no views today

Ano: 2011
Selo: Warp
# Faixas: 12
Estilos: Math Rock, Experimental
Duração: 53:50
Nota: 4.0
Produção: Batttles

Math Rock é uma vertente de música que está relacionada à matemática, com estruturas sonoras bem incomuns e com quase nada de apelo Pop. O grande mérito do Battles éexatamente trazer esse gênero nada fácil para uma grande audiência. Gloss Drop, seu segundo disco, foi muito bem recebido por crítica e público.

Mesmo com a saída de Tyondai Braxton em 2010, o agora trio prova que é capaz de fazer música pegajosa e técnica ao mesmo tempo. A saída deixou os fãs receosos que todo carisma e energia da banda vinham dele. Mas, provando o contrário, Gloss Drop é uma evolução natural do Mirrored, mesmo sem toda a energia do debut.

Em sua grande maioria, o álbum é instrumental e os vocais, quando presentes, são todos feitos por convidados, entre eles Gary Numan (em My Machines) e Kazu Makino da Blonde Redhead (em Sweetie & Shag). Essas participações muito bem escolhidas refletem um aspecto particular em cada música.

Não seguindo em nada as estruturas manjadas do Rock, o Battles se prova uma banda criativa, fazendo do experimental algo totalmente audível e acessível. O Math Rock que é conhecido por sua métrica matemática e não tão acessível a todos é quebrado com uma grande dose de genialidade do trio.

Africastle vai crescendo lentamente, bem ao estilo Battles, culminando em pura energia perto dos 2 minutos, seguindo o ritmo frenético e pegajoso que tínhamos em Mirrored. Essa é a nossa primeira impressão depois de um hiato de três anos e ela agrada muito. Matias Aguayo trouxe um clima sexy e açucarado à Ice Cream, provando mais uma vez que os vocais de Braxton são coisas do passado. Brincando num semi-Hip-Hop, Futura traz esse novo lado da banda, criando texturas e clima incríveis.

Inchworm e Wall Street estão em uma vibe dançante, a primeira com seus loops e batidas aceleradas e a segunda com um aspecto robótico. Sweetie & Shag traz a única participação feminina, cujos vocais dão forma e força a música. Na sequência, temos três músicas somente instrumentais, que mostram toda a criatividade do trio: a curtinha Toddler, a sonhadora e infantil Rolls Bayce e a poderosa White Electric.

Fechando o disco com um clima bizarro de experimentalismo, Sundome vai crescendo aos poucos, com vocais e instrumentos que vão ganhando força lentamente, passeando entre o Dub e o Reggae. Com o Pop assumindo sua forma mais matemática e experimental, Gloss Drop se mostra um disco completo e complexo, mas agradável ao ouvidos.

1,557 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: tUnE-yArDs, Tubelord, Macaco Bong
ARTISTA: Battles
MARCADORES: Experimental, Math Rock

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts