Resenhas

Big Grams – Big Grams

Estreia de trio formado por uma das cabeças do duo Outkast é surpreendente

 1,721 total views

Ano: 2015
Selo: Epic Records
# Faixas: 7
Estilos: Hip Hop
Duração: 26:35
Nota: 3.5
Produção: Phantogram, Skrillex, 9th Wonder

A relação entre Big Boi e Phantogram data da primeira vez que o rapper americano ouviu uma canção do duo de Rock Eletrônico em 2010 em um anúncio de TV. Mouthful of Diamonds mexeu com a cabeça dele a ponto de nomeá-la “faixa da semana” em seu website e a consequência desse ato está na história. A cantora Sarah Barthel logo viria a colaborar em três faixas bem sucedidas de seu disco solo de 2012, Vicious Lies and Dangerous Rumors, e a parceria não parou por aí e culminou neste ano no anúncio de um novo trio de Hip Hop, Big Grams.

Big Grams parte de trilhas na música que Run The Jewels vem criando nos últimos anos ao desenvolver um estilo próprio de Hip Hop – por ventura psicodélico, em outros feroz, mas, acima de tudo, concentrado em elementos que o deixam Pop mesmo com seu peso nos instrumentais. Big Boi e Sarah dividem-se em quase todas as faixas do pequeno EP e suas vozes combinam surpreendentemente: enquanto, o rapper, com seu jeito único de versar tem um timbre já idiossincrático na música, a cantora traz um contraste açucarado e cheio de espacialidade em sua voz.

A produção fica por conta da outra parte do duo, Josh Carter e não decepciona. Aliás, é o produtor que permite que as faixas fujam do clichê do Hip Hop de loops cíclicos, e permite que exista fuga e dinâmica distintas, muitas vezes se aproximando de um proto-Pop cheio de batidas. Feeling the Sun é o exemplo de como a parceria flui bem, trazendo uma música pronta para as pistas de dança, propagandas de tv e trilhas-sonoras de seriado. Aliás, não é muto difícil duvidar de seu apelo faraônico para os fãs do estilo que estão acostumados com artistas “radiofônicos” – Put It On Her é o single certeiro para o fim de ano norte-americano e traz uma batida excelente, uma das melhores do ano no gênero.

Nas faixas em que Big Boi não desponta tanto, como em Goldmine Junkie e Lights On, Sarah assume os papéis de condução e acaba transformando um pouco esse Hip Hop construído a partir de batidas, mas que não se comporta necessariamente como tal. O caráter Pop vem de Phantogram e suas composições claramente orientadas para o Rock e suas conexões eletrônicas. Por fim, duas faixas chamam bastante atenção: Born to Shine, com Run the Jewels – uma das melhores faixas que conhecemos do duo -, e Drum Machine, produzida por Skrillex, outra com cara de hit noturno certeiro.

Todavia, Big Grams é o tipo de lançamento surpreendente no ano ao trazer um EP que flerta bastante com outros estilos musicais, mas é essencialmente Hip Hop. Traz Big Boi em um grande momento, talvez o melhor que temos em nossa memória recente, e cria um trio que pode transformar ainda mais o estilo que, ao lado da Música Eletrônica, está em mutação há mais de 20 anos.

 1,722 total views

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.