Resenhas

Clark – Flame Rave

EP de quatro faixas é reflexo inflamado de obra anterior do produtor

 1,525 total views

Ano: 2015
Selo: Warp Records
# Faixas: 4
Estilos: Eletrônica, IDM, Techno
Duração: 24:25
Nota: 3.5
Produção: Chris Clark

Chris Clark é um artista e produtor inglês de espírito livre que, no momento de demonstrar a noção que possui sobre a própria música, gosta de utilizar metáforas com objetos concretos. “Esculturas musicais” ou “arquitetura sonora” (ao modo de Tim Hecker) são bons exemplos para tentarmos definir o esmero, a criatividade, o experimentalismo e a liberdade no seu processo de criação, como se este se resumisse à tentativa de capturar momentos de inspiração fugidios.

No seu trabalho anterior, o homônimo Clark, o artista parece ter encontrado, enfim, sua verdadeira personalidade (nada melhor do que o próprio nome na obra para atestar esse fato). Empresto as palavras de Nik Silva para contextualizar este que, talvez, tenha sido seu maior trabalho: “Em treze intensas faixas, que juntas somam 47 minutos e formam seu álbum homônimo, o produtor mostra uma bela e ambiciosa amálgama sonora, uma mistura intrincada, que consegue fundir diversos subgêneros da Música Eletrônica sem nunca perder a coesão.”

Se experimentalismo e liberdade fundem-se à composição introvertida e meticulosa em Clark, em Flame Rave temos um reflexo subsequente e mais extrovertido. Trata-se de uma faceta focada em agradar o público nas pistas de dança, com faixas mais inflamadas e animadas. São apenas quatro delas, mas que somam quase vinte e cinco minutos de duração. Temos, na abertura, a assertiva Silver Sun e a épica To Live and to Die in Grantham. Além destas, temos as heranças do álbum anterior: Springtime Linn em oposição à Winter Linn e Unfurla Cremated como descendente direta de Unfurla.

Menos experimental e mais focado no público e nas pistas de dança do que em si mesmo, Flame Rave é um reflexo de sua obra anterior, ápice da carreira do produtor até agora. Mas, mesmo assim, consegue construir uma identidade própria, totalmente coerente e, com ele, continua seu legado Eletrônico Experimental.

 1,526 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Arca, Tim Hecker, Aphex Twin
ARTISTA: Clark
MARCADORES: Eletrônica, IDM, Techno

Autor:

é músico e escreve sobre arte