Resenhas

Classixx – Hanging Gardens

Dupla de Los Angeles justifica todo o tempo de demora para o lançamento de seu primeiro disco com uma produção refinada e muito detalhista

 3,080 total views

Ano: 2013
Selo: Innovative Leisure
# Faixas: 12
Estilos: EDM, Nu-Disco, Eletrônica
Duração: 55:37
Nota: 3.5
Produção: Michael David e Tyler Blake
SoundCloud: /tracks/78934691
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fhanging-gardens%2Fid

O duo de Los Angeles Classixx consegue evocar muito da sonoridade de seu primeiro disco a partir de seu nome. Esclarecendo um pouco, muito do que se ouve em Hanging Gardens tem esse teor “clássico”. O grupo consegue obter este resultado trazendo ao presente, sólidas ideias modelares do passado – deixando ainda mais claro: não há grandes novidades aqui, esse é um registro muito bem fundamentado e construído com aquilo que já feito há algumas. Ainda assim, esta obra está longe de ser “só mais uma cópia”. Assim como Random Access Memories, o tão falado novo trabalho do duo francês Daft Punk, este disco caminha de mãos dadas com o passado e o reinventa à sua própria maneira, mas sem que haja aquele apelo estético vintage já há muito batido.

Michael David e Tyler Blake, nomes por trás do projeto, estreiam em um álbum somente agora, mas já criam música juntos desde 2009, ano em que soltaram seu primeiro (e ótimo) single I’ll Get You. Logo após este lançamento, misteriosamente o duo cessou sua produção e voltou aos remixes, o que já faziam muito tempo antes de sua primeira criação autoral. A volta às produções próprias só aconteceu em 2011, com Into the Valley (faixa que não aparece neste álbum), sendo sucedida pelo principal single de Hanging Gardens, Holding On (lançado apenas em 2013). Entre tantas idas e vindas, a dupla pôde refinar seu mix e hoje, finalmente mostrar toda essa bagagem acumulada ao longo dos anos em doze boas faixas que bebem dos ritmos dançantes dos anos 80 – sendo grande parte delas muito amigáveis as pistas.

Um fator interessante aqui são as conduções melódicas, que muitas vezes ganham mais destaque que as próprias batidas. Ainda que os beats desempenhem um papel importante nas faixas (ainda mais se tratando de músicas com grande influência da Nu-Disco), são as melodias que se mostram como o grande propulsor e diferencial da musicalidade da dupla. Fora isso, a grande variedade de texturas, camadas, sintetizadores e efeitos trazem grande frescor e refinamento ao som do duo – tudo inserido de forma meticulosa e com grande atenção aos pequenos detalhes. O teor old-school aparece nas linhas de baixo à la New Order e embebido no glamour Disco do Daft Punk.

Mais um ponto positivo para esta produção é aliar músicas voltadas para as pistas, como All You’re Waiting For (com a participação de Nancy Whang, ex-LCD Soundsystem), I’ll Get You (com os vocais de Jeppe, do Junior Senior) e o ótimo single Holding On, com outras num clima mais chill out, sendo perfeitas para um fim de tarde ensolarado. A Fax From The Beach, Long Lost (com Active Child) e Supernature cumprem esse papel ameno (e de certa forma polarizador) dentro do álbum. Transitando muito bem entre os dois extremos – do mais puro hedonismo funkeado às pesarosas baladas -, o duo consegue criar um disco sólido, porém cheio de momentos distintos e interessantes.

Oriundos de uma cena cada vez mais caricata (o Nu-Disco), Michael e Tyler sabem dosar esses maneirismos do gênero e deixar clara a sua personalidade – é claro que a grande atenção nos detalhes também ajuda a consolidar isso. Este lançamento ainda não alcança o patamar de um clássico, mas já fica aberta a possibilidade de algum futuro lançamento do duo se tornar – aí sim seu nome justificará não só suas referências, mas também a própria sonoridade da banda.

 3,081 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Breakbot, Daft Punk
ARTISTA: Classixx
MARCADORES: EDM, Eletrônica, Nu Disco

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts