Resenhas

Constantina – Pacífico

O novo EP da banda faz uma experimentação inusitada, trazendo vozes a músicas antes instrumentais

 3,317 total views

Ano: 2012
Selo: Independente
# Faixas: 5
Estilos: Post-Rock, Rock Alternativo
Duração: 33:20
Nota: 4.0

Este não é um projeto comum dos mineiros da Constantina, banda que ficou conhecida pelo seu som instrumental e traz desta vez várias parcerias vocais que mudam a cara do projeto sem tirar sua beleza ou originalidade. Pácifico é um EP que conta com a participação de três nomes que em algum momento já compartilharam experiências com a banda e emprestam suas vozes às belas composições instrumentais.

As músicas da banda são construídas com delicadas guitarras, ocasionais ruídos eletrônicos e uma suave percussão. Em seu som minimalista e quase inclassificável, encontram-se ainda muitos sons regionalistas que dialogam muito bem entre si e criam uma boa unidade no disco.

Pacífico traz versões de velhas conhecidas, só que agora acompanhada de vocais. O uruguaio Franny Glass, Wado e o rapper Matéria Prima assumem o microfone e ajudam a repaginar quatro músicas tiradas do Haveno (2011) e uma do EP ¡Hola Amigos! (2008). A experimentação com as vozes neste disco acaba o tornando um pouco mais acessível, ainda mais pra quem não gosta de música puramente instrumental.

Juan El Marinero e Pequenas Embarcações ganham o vocal de Franny Glass e uma temática portuária tirada do disco Heveno (que em esperanto significa porto), em letras simples e calmas que se encaixam perfeitamente nas músicas com o clima de calmaria após a tempestade.

Monte Roraima ganha a interpretação simples do alagoano Wado, em um casamento de voz e música que faz dela uma das belas do disco. A doce melodia de Cubo Mágico parece ser borrada ao som de chiados, enquanto Matéria Prima foi encarregado de dar voz à música – que nesta versão ganha batidas e versos vindos do Rap. Bagagem Extra fecha o disco como uma linda surpresa: tirada de uma apresentação ao vivo, ela ganha uma versão estendida e um lindo coro da plateia. A “bagagem extra” desta música (os vocais do público) parecem não mais ser extras e sim uma parte fundamental dela.

As canções se mostram tão ou mais experimentais por trazerem vozes. As músicas, que antes poderiam nos contar qualquer história, agora nos contam uma que foi idealizada pela própria banda e ouvi-las sem voz, em suas versões originais, se torna um exercício estranho depois que se tem contato com este EP.

 3,318 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Wado, The Tape Disaster, Curumin
ARTISTA: Constantina

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts