Resenhas

Daphni – Jiaolong

Dan Snaith, a cabeça por trás do Caribou, se envolve em novo projeto eletrônico mais livre e inovador

 1,884 total views

Ano: 2012
Selo: Merge Records
# Faixas: 9
Estilos: Eletrônica, Electro House, Dance
Duração: 47:52
Nota: 4.0
Produção: Daniel Snaith

Daphni é o novo alter-ego musical de Dan Snaith, o grande produtor de música eletrônica dono de projetos como Caribou. Em sua nova face, Dan cria batidas e texturas sonoras interessantes em Jiaolong que variam entre o House e Dance sem perder alguns traços de projetos anteriores.

De longe, a trinca de inicial de músicas prova-se a mais interessante. Yes, I Know começa minimalista e crescente, semelhante com a pegada vista no último disco de seu parceiro de discotecagem Four Tet. No entanto, quando um sample setentista com um quê de Funk e R&B entra repetindo o titulo da música, ela transforma-se em uma canção extremamente dançante e que tem grande inspiração nos primeiros momentos do Daft Punk.

Cos-Ber-Zam Ne Noya coloca um sample de música africana desconhecido e incorpora uma batida Afrobeat a ela, imaginando como seria se o Fela Kuit ainda estivesse vivo e se envolvesse com a Eletrônica. É a melhor canção do disco de longe, e na pista deve tornar-se ainda mais hipnotizante. Ye Ye já havia sido lançada como lado B do single Pinnacles, de Four Tet, e ainda assim se prova relevante dentro deste disco de inéditas de Dan. O teclado progressivo contrasta com os suspiros baixos de “Yeah Yeah” que se repetem na música, enquanto uma batida eletrônica no chimbau é jogada aos poucos no fundo. Suas texturas expansivas se tornam um belo estimulante que funciona muito bem para uma playlist de exercícios físicos.

Daphni tenta incorporar o máximo de referências possivéis ao seu som, indo desde sons 8-bits de lasers e tiros, como acontece em Spings, até os toques tribais de Pairs e multiculturais das flautas de Light, utilizando sempre uma construção crescente e cheia de camadas. Tais músicas, se não tem claras referências ao Caribou, se mostram tão plurais e folclóricas quanto. Algumas vezes, tal exercício demonstra-se um pouco excessivo e cansativo, como o caso da viagem espacial de Long. No entanto, outros momentos como Ahora trazem de novo o viés House psicodélico, com batidas minimalistas e precisas que procuram ao mesmo tempo excitar e acalmar o ouvinte.

Quando Daphni foi anunciado sendo uma nova cara de Dan, ele afirmou que através desse projeto poderia inovar mais e tomar as rédeas de uma música menos restrita, pois o Caribou já havia se tornado pouco permissivo devido ao seu grande sucesso. Com isso, Jialong pode ser considerado uma bela experimentação do produtor, que não precisa se preocupar com a unidade do disco, mas somente com a qualidade de suas músicas que, independente da diversidade entre as mesmas, servem para demonstrar o talento e o aspecto camaleônico de Dan.

 1,885 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Four Tet, Flying Lotus, Caribou
ARTISTA: Daphni

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.