Resenhas

Dillon – The Unknown

Com canções surpreendentes e profundas, cantora entrega tudo o que pode oferecer de si mesma

 2,049 total views

Ano: 2014
Selo: BPitch Control
# Faixas: 12
Duração: 43:22
Nota: 3.5

Dominique Dillon de Byington, também conhecida como Dillon, está totalmente distante da imagem brasileira que deveria ser associada às suas origens, fato que se deve principalmente por ter sido radicada e criada na Alemanha. A última notícia relativa à cantora foi em 2011 após o lançamento de seu álbum This Silence Kills, pelo prestigioso selo alemão BPitch Control, focado no estilo Eletrônica. Porém, desde seu primeiro trabalho, ela já mostrava passar longe da música feita para as pistas dançantes. Agora, em seu segundo álbum, The Unknown, a cantora prova mais uma vez que aposta no som intimista, obscuro, doce (e por que não, Pop).

O próprio nome do álbum é uma introdução ao que está por vir. The Unknown (O Desconhecido), é como Dillon parece sugerir que o público ouça as 12 canções que compõem seu registro. A partir da primeira música, já podemos sentir o tom sombrio das composições, que servem como base para as belas frases de piano, preenchidas por longas pausas e até momentos de puro silêncio. E para se conectar e entrar totalmente no segundo álbum de Dillon, é preciso jogar-se de cabeça para o desconhecido.

A instrumentação durante todo o álbum é mínima. Acordes de piano esparsos derretem em texturas sombrias enquanto a percussão é reservada para raros momentos de caos dentro da tranquilidade. É o tipo de música feita para a contemplação, reflexão e introspecção, onde a voz de Dillon é, sem dúvidas, a estrela principal a todo momento. Já a instrumentação vem criar uma perfeita intimidade e ambientação para seus vocais fluírem.

Mesmo com toda essa atmosfera, as composições não são baseadas necessariamente na melancolia, mas sim em algo poético, abstrato e pessoal ao mesmo tempo. Dillon parece expor mais de seu verdadeiro eu, da maneira mais pura e sensível possível. É como se fosse uma celebração da complexidade de nossos sentimentos e tudo aquilo que o ser humano é, mais especificamente, o que as mulheres são.

O disco conta com uma produção espetacular que aumenta seu peso. A beleza de suas músicas e do seu disco mostram seu esplendor misterioso que é inicialmente escondido sob um exterior frio. Só com o tempo e sensibilidade podemos perceber a sua verdadeira beleza emergir das profundezas de Dillon. Em comparação com o trabalho anterior, percebemos que a cantora sofreu uma transformação musical significativa. Ao contrário de sua estréia , The Unknown respira a vida em doze faixas surpreendentes e profundas, entregando tudo o que pode oferecer de si mesma.

 2,050 total views

BOM PARA QUEM OUVE: FKA Twigs, BANKS, SZA, Lykke Li
ARTISTA: Dillon

Autor:

Largadora por vocação. Largou faculdades, o primeiro namorado e o interior. Hoje só quer saber de arte, cinema, música, fotografia e sair correndo pelo mundo.