Resenhas

Drake – VIEWS

Rapper produz álbum monótono e abaixo da alta expectativa, mas ainda contém algumas pérolas

3,441 total views, no views today

Ano: 2016
Selo: Young Money
# Faixas: 20
Estilos: Rap, Hip Hop, R&B
Duração: 01:21:05
Nota: 3.5
Produção: Noah “40” Shebib

Como toda personalidade da música, Drake atingiu um ponto em que fica impossível separar quanto de seu reconhecimento veio pelo que ele representa na cultura Pop e quanto veio pela qualidade de sua obra. VIEWS é o aguardado álbum que chega para ajudar a desvendar esse enigma e nos indicar o que será do rapper daqui pra frente.

Quem tem fomentado toda esta expectativa não é mais apenas o músico que soube vender seu “Rap de coração partido” influenciado por caras como Andre 3000 ou Kanye West e seu 808’s & Heartbreak. É o popstar que teve seus dois últimos discos muito bem elogiados por público e crítica, lançou uma ótima mixtape no ano passado e produziu uma quantidade impressionante de hits – talvez apenas comparável com sua parceira criativa recente Rihanna (Drake, Lil Wayne e Elvis Presley são os únicos músicos a colocarem mais de 100 faixas no Top 100 da Billboard). Além de tudo isso, é o responsável também por Hotline Bling, que influenciou a música, a moda, a produção de videoclipes, a dança e o humor na Internet nos últimos meses.

Com tamanha expectativa, a possibilidade de VIEWS estar aquém do esperado sempre existiu, mas a decepção aqui veio em sua pior forma, o tédio. O álbum não nos tira o fôlego ou nos surpreende em momento algum. Sabendo do cuidado que Drake teve com sua produção nos últimos anos, ouvir um disco com menos presença parece inicialmente uma opção criativa, soa como um caminho mais “low profile” escolhido por ele. Mas antes da metade do trabalho, tudo começa a parecer apenas falta de inspiração.

No papel, o disco conta com duas das melhores faixas do ano até agora (One Dance e Feel No Ways) e outras seis ou sete bem acima da média, o que já parece mais do que suficiente para compor um ótimo álbum. O problema está no total de 20 faixas, com muitas delas parecendo bem mais longas do que o necessário. Pra piorar, dentre as nove boas canções, pelo menos três delas já eram muito conhecidas antes de seu lançamento (One Dance, Pop Style e Hotline Bling), tornando Feel No Ways a única faixa com verdadeiro potencial de se tornar gigante (talvez Too Good, muito mais pela participação de Rihanna do que pela qualidade).

U With Me?, co-produzida por Kanye West, é um dos outros pontos altos de VIEWS. A canção destaca perfeitamente Drake como um ótimo rapper, tendo a batida como figurante e toda sua melodia e flow apoiados nas boas letras e na voz de Drake. Nela, ele mostra a facilidade que tem em transformar seu jeito de cantar, passando pelo melódico e deprimido, pelo Rap mais convencional e pelo Hip Hop mais agressivo ao final da canção.

With You e Grammys são interessante eHype também é boa, muito por lembrar a mixtape If You’re Reading This It’s Too Late – que, inclusive, por não ser um álbum, teoricamente, deveria ser menos bem amarrada, conter uma produção mais crua, com menos camadas do que VIEWS, mas curiosamente, tudo ali parecia mais envolvente e coeso.

Mas não se deixe enganar por essa monotonia ao tentar embarcar em mais de uma hora e vinte minutos de Drake. Mesmo sem grandes evoluções em sua composição, seus problemas amorosos e sua consciência sobre sua maneira particular de lidar com eles continuam ali, a produção trabalha a favor do disco e, sem dúvidas, uma série de suas faixas estarão em playlists pelo mundo nos próximos meses, ou seja, o disco é um sucesso garantido.

O problema é que ano após ano, a nota de corte para brincar com os grandes do Hip Hop tem subido e nomes como Kendrick Lamar tem conquistado seu lugar, Chance The Rapper está cheio de expectativas para que também conquiste o seu em breve, Kanye West continua com sua cadeira cativa e recentemente até nomes como Dr. Dre e D’angelo tem voltado para mostrar que continuam influentes. Drake, senão uma unanimidade crítica, já havia conquistado um lugar ali por clamor popular. Agora, um disco com mais da metade de suas faixas repetitivas e desinteressantes pode não comprometê-lo no curto prazo, mas com certeza deve contribuir para que sua marca dentro do estilo seja menos profunda.

*(VIEWS em uma música: U With Me?*)

Ouça VIEWS no Apple Music

3,442 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Lil Wayne, Future, Kanye West
ARTISTA: Drake
MARCADORES: Hip Hop, R&B, Rap

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.