Dramón – Ansiedade Morte

Primeiro de dois EPs transporta o ouvinte a um cenário tenso e ruidoso

477 total views, no views today

Ano: 2018
Selo: Sinewave
# Faixas: 6
Estilos: Experimental, Post-Rock
Duração: 16'
Nota: 3.0
Produção: Renan Vasconcelos

A música sempre foi uma ferramenta importante para linguagens artísticas de cunho narrativo, como o teatro ou o cinema, além de funcionar muito bem por si só na hora de contar seja lá qual história for. No caso de Dramón e seu Ansiedade Morte, ele opta por sair da estrutura começo-meio-fim e nos narra sensorialmente um período de sua vida, como se olhássemos para uma gaveta aberta com tudo o que foi guardado daquela época.

Pensado como o primeiro de dois EPs, o disco comenta algumas das agonias que o músico e designer conheceu enquanto morou no Rio de Janeiro, um cenário bastante, ainda que geograficamente próximo, à região serrana do estado onde ele nasceu. Para isso, ele conta com elementos regulares da linguagem musical, como o timbre e a melodia, ao lado de recursos pertinentes ao meio Experimental, como o ruído e a lacuna, ora apresentando uma grande inquietação sonora, ora uma inércia emocional bastante claustrofóbica.

Aproveitando-se de lições que aprendemos com o Post-Rock e com a Eletrônica de cunho Experimental, Ansiedade Morte é eficaz em comunicar um pouco do que Dramón passou ao transportar o ouvinte para esse cenário. O resultado é um EP com cara de trilha de game, com uma tensão constante e todo um aspecto obscuro. Assim como a ansiedade do título muitas vezes se desenvolve, é como sentir-se em um labirinto pouco iluminado sem saber o que te espera na próxima esquina, tendo apenas a sensação de que a saída não está ali.

(Ansiedade Morte em uma música: (H).arp)

478 total views, 1 views today

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.