Resenhas

Ella Mai – TIME EP

Jovem cantora inglesa faz empoderado compacto sobre fim de relacionamentos

 2,235 total views

Ano: 2016
Selo: 10 Summers
# Faixas: 6
Estilos: R&B, Hip Hop
Nota: 3.5
Produção: DJ Mustard
SoundCloud: /tracks/247129556

Escritores como Vladimir Nabokov, em Lolita (“Lolita, luz da minha vida, fogo da minha virilidade. Meu pecado, minha alma. Lo-li-ta: a ponta da língua faz uma viagem de três passos pelo céu-da-boca abaixo e, no terceiro, bate nos dentes. Lo. Li. Ta”), ou Fiódor Dostoiéviski, em Notas do Subsolo (“Sou um homem doente… Sou mau. Não tenho atrativos”), sabem muito bem como abrir suas obras de forma impressionante em frases que conseguem entregar um pouco da essência da narrativa e, ao mesmo tempo, instigar o leitor a saber mais do que se trata aquilo.

Digo tudo isso para ressaltar o verso “Mama said, never love a nigga more than he love me”, dito pela jovem cantora inglesa Ella Mai na abertura de seu novo EP, TIME. A frase pode não ser tão poderosa quanto as dos russos citados acima, mas certamente é forte no contexto que se encerra o compacto. Todas as músicas aqui são sobre o fim de relacionamentos, ora um réquiem, ora um lamento, ora uma reflexão, ora um adeus. Elas são de certa forma tudo aquilo que você gostaria de dizer para seu ex, mas nunca teve coragem – aqueles textos que você escreveu, mas nunca teve a coragem de apertar o botão “enviar”.

Todas essas letras são cantadas de forma forte e empoderada por uma mulher que sabe o que diz (como em “Fuck you, it’s funny how you’re sorry/Cause boy, well me too/And no matter what you do/It’s done now, it’s done now”, de One Day, ou “But it’s cool, I don’t want you no more/You messed up, boy you got that/I’m good, ain’t no comebacks/You did this, I’ma run that/I’m good/It’s cool, I don’t want you no more”, de Don’t Want You). Em especial, A Thousand Times traz um relato que parece real para muita gente. Dona de versos duros, a música revela um relacionamento que se desfaz depois dela fazer de tudo para um cara (“I gave you everything that every man says he wants/I cooked, I cleaned, I ironed your jeans, I was the one/I would listen to you when you sound stupid”) que estragou as coisas (I gave you everything that every man says he wants/I cooked, I cleaned, I ironed your jeans, I was the one/I would listen to you when you sound stupid).

Mas música não é feita só pela letra. O invólucro dela é igualmente bem amarrado, seja pela ótima voz da cantora (e seu sotaque britânico) ou pela produção feita, em grande parte, pelo renomado DJ Mustard, que trabalhou recentemente com nomes como Tinashe, Jeremih e outros nomes que transitam entre o Hip Hop e R&B. É entre esses dois estilos que o compacto pendula, ora pendendo pra uma rima mais consistente, ora indo pra um estilo vocal mais contemporâneo dentro da música negra. Voz e música somam-se em um poderoso EP, que se torna muito mais que um simples disco sobre o lugar comum de fim de relacionamento.

 2,236 total views

BOM PARA QUEM OUVE: The Internet, Yuna, Lauryn Hill
ARTISTA: Ella Mai
MARCADORES: Hip Hop, Ouça, R&B

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts