FKA twigs – EP2

R&B, Trip Hop e Pop Experimental se juntam no misto sensual da jovem inglesa que chega a seu segundo EP como uma das boas promessas para o próximo ano

3,188 total views, no views today

Ano: 2013
Selo: Young Turks
# Faixas: 4
Estilos: R&B, Minimal, Pop Eletrônico, Trip Hop
Duração: 14:58
Nota: 4.0
Produção: Arca
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Fartist%2Ffka-twigs%2Fid67966

Cada vez ser um músico, não significa apenas ser a pessoa que sabe fazer música de qualidade. A cultura Pop cobra dos novos artistas outras manifestações, que não só as musicais, para dar forma ou complementar o que é gravado em estúdio. Quem consegue transitar bem entre esses novos caminhos oferecidos pelas novas tecnologias ganha alguns pontos logo de cara e sai na frente da concorrência na corrida pela atenção do público.

Dito tudo isso é bom lembrar que os primeiros trabalhos da jovem inglesa FKA twigs (anteriormente conhecida apenas como Twigs) a ganharem atenção neste ano foram veiculados por meio de clipes. Com primeiro deles, Water Me, a moça conseguiu atrair bastante atenção para si com o clima freak do vídeo. Recentemente a moça mostrou ao mundo o Papi Pacify, um misto de sensualidade e esquisitices que praticamente define como um todo a nova obra da inglesa, **EP2***.

Com um Pop, digamos, não muito comum, a moça trabalha com novas tendências do R&B, Trip-Hop, Música Eletrônica e as experimentações minimalistas de gente como XXYYXX ou James Blake. O resultado é um misto envolvente que exala sensualidade, por mais que em alguns momentos essa impressão possa ser quebrada pelas esquisitices da moça. Ultraviolet, canção que fecha este EP, mostra muito bem isso, construindo um clima de pura sedução para mostrar vocais que parecem resultar de um disco sendo girado ao contrário em um toca discos.

Recheado pelas duas faixas já conhecidas, a abertura da obra fica por conta de How’s That e suas batidas letárgicas, esparsas e cheias de reverb, quase como se víssemos a música sendo construída em câmera lenta. A ambiência cheia de luxuria não se dá somente pelas batidas e pelo clima das músicas, mas também em suas letras – como em “He won’t make love to me now / Not now, I’ve set the fee”, de Water Me -, criando um potente registro para momentos de sedução.

Se em seu primeiro EP, a moça era sujeita a uma comparação à Grimmes, agora ela deixa isso tudo para trás, principalmente pela colaboração com o produtor Arca (que recentemente esteve também envolvido com a equipe de Yeezus, novo álbum de Kanye West), que produz as batidas certas para a proposta deste novo trabalho. Sem contar ainda a ida da moça para o selo Young Turks, casa de gente como The xx, SBTRKT, John Talabot, artistas que constroem sonoridades que parecem ser também influências para FKA.

Com uma boa promessa para o ano que vem, a moça começa desde já a mostrar seu talento não só com a música, mas também nos processos que cercam a divulgação dela e certamente vale a pena ficar ligado nos próximos passos de FKA twigs.

3,189 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Braids, XXYYXX, The xx
ARTISTA: FKA Twigs

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts