Resenhas

FKA twigs – LP1

Autoral e coeso, disco de estreia da cantora traz uma atmosfera sonora inovadora e particular

 6,321 total views

Ano: 2014
Selo: XL Recordings
# Faixas: 10
Estilos: R&B, PBR&B, Eletrônica
Duração: 41:00
Nota: 4.5
Produção: FKA twigs, Arca, Cy An, Emile Haynie, Dev Hynes, Inc., Paul Epworth, Sampha, Tic

FKA twigs não deveria surpreender assim. Seus dois pequenos trabalhos anteriores, EP1 e EP2, já mostravam uma cantora distinta do que estávamos esperando na música contemporâne. No entanto, a britânica será verdadeiramente conhecida a partir do seu debut, LP1, e possivelmente irá figurar entre os atos mais interessantes e comentados do ano por um simples motivo: traz a figura de uma cantora Pop que todos esperam sem fazer um som popular – uma anti-heroína no meio com seu R&B espacial, eletrônico e coeso em suas inspirações.

Do começo ao fim de LP1, não duvidamos em nenhum momento que se trata de um trabalho autoral – seja pelo som Eletrônico ruidoso com suas batidas por vezes desconexas, adereços simbolizados na interação com texturas distintas ou pela voz que explora uma dualidade global e contemporânea. FKA twigs, homônimo de Tahliah Barnett é etérea nos sentimentos humanos de suas letras, mas digital em sua exibição e logo, o imaginário que vem à cabeça é um espécie de ser espacial saído de um filme de ficção científica menos usual, como O Quinto Elemento de Luc Besson. Escute Closer, por exemplo, com seu coro de vozes de outra galáxia enquanto a cantora não foge de seu tom, trazendo somente o ouvinte para o céu através de uma atmosfera aérea, e entederá o aspecto alieníegia de sua arquitetura sonora. Duvida de tal constatação? Veja o clipe de Two Weeks, para entender porque o personagem criado é também verossímil.

A cantora é uma persona musical como Lady Gaga já ousou ser antes de se tornar excentrismo puro – tal qual a islandesa Björk ainda é -, uma figura que procura explorar outros sentidos ao criar arte visual através de seus vídeos e coreografias dirigidas por ela e de outro mundo quando exibe sua forma sonora. Tahliah explora seu universo particular sem limitá-lo a sua cabeça.

Porventura, é dificil de entender o rumo de algumas músicas, como Lights On: lenta e obscura, revela em suas batidas (que parecem estar abaixo do nível da água de tão baixas) espaço para um dos refrões mais pegajosos do ano, mas sem ser propriamente populista. Kicks é outra faixa misteriosa na qual a voz serena da cantora cria um ambiente adequado para um minimalismo sonoro tal qual the XX sempre fez, mas que parte para outras vertentes – o Trip Hop de suas batidas quebradas, a lisergia de sussurros e a constante busca de uma identidade que já está muito bem estabelecida.

Dizer que FKA twigs faz R&B seria muito óbvio dada a crescente busca de artistas no desenvolvimento moderno do estilo: The Weeknd, How to Dress Well e Sampha estão aí pra isso, no entanto é dificil imaginar qualquer um destes trazendo um voz feminina aos seus trabalhos e alcançando um resultado semelhante. A estilização sonora da cantora está presente em cada uma de suas faixas, mas sem nunca perder o tênue fio entre execução e idealização, a coesão está ali do começo ao fim. Em alguns momentos, emociona desesperadamente (como em Numbers) e em outros nos joga distantes em espaços abertos e viajantes, como Hours, enquanto sensualiza nos melhores momentos, Pendulum e Video Girl. Sempre passando a imagem de uma figura de outro planeta com uma voz angelical (o que estes seres seriam se não figuras distantes?), com um toque sempre melancólico e frágil, Tahliah é a artista a ser observada daqui pra frente. Confiante do que está buscando e sempre com uma autoridade para fazer as coisas à sua maneira, mesmo com tantos nomes por trás de seu trabalho – é só ver o número de produtores presentes no disco e perceber que o álbum não perde a mão em nenhum momento – sabemos que seu futuro e o sucesso serão consequências deste excelente disco, uma das grandes surpresas para a maioria das pessoas que (ainda) desconheciam a arte por trás do nome de FKA twigs.

 6,322 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Bjork, XXYYXX, The Weeknd
ARTISTA: FKA Twigs
MARCADORES: Eletrônica, Ouça, Pop, R&B, Trip Hop

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.