Resenhas

Floating Points – Kuiper

Produtor dialoga com fluência a linguagem da música instrumental contemporânea

1,182 total views, no views today

Ano: 2016
Selo: Luaka Bop
# Faixas: 2
Estilos: IDM, Jazz Fusion
Duração: 33'
Nota: 3.5
Produção: Floating Points

Duas faixas instrumentais que se estendem por mais de meia hora: Kuiper é mais uma experiência imersiva e complexa que Floating Points apresenta, após seu fascinante Eleania (2015).

A sensação de estar diante de uma trilha sonora não vai embora, o que diz mais sobre o raciocínio condicionado a imagens do ouvinte no nosso tempo do que a algum formato para as composições. Elas chegam livres como suas inspirações e desenvolvem-se sem pressa para cumprir seus objetivos.

A faixa-título inaugura a obra com grandes variações de clima, como uma narrativa complexa que tem a guitarra como protagonista por altos e baixos de volume, de breves momentos silenciosos/minimalistas a uma grande variedade de camadas de timbres. Já For Marmish Pt. II vem como o negativo de sua anterior, sem grandes momentos e com pequenos detalhes que dão fôlego ao ritmo constante.

Há uma grande diferença na disposição em ouvir a primeira e a segunda parte da obra, o que não é positivo para Kuiper como um todo. É inegável, porém, o quanto Floating Points dialogo tão bem dentro da linguagem instrumental e firma-se como referência para qualquer um que se aventure por esse tipo de progressão.

1,183 total views, no views today

BOM PARA QUEM OUVE: Tycho, Bonobo, Flying Lotus
MARCADORES: Ouça

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.