Resenhas

Guards – In Guards We Trust

Estreia de Richie Follin e companhia é um apanhado genérico de Indie Pop/Rock que não consegue mostrar quem realmente são

 2,281 total views

Ano: 2013
Selo: Black Bell
# Faixas: 12
Estilos: Indie Pop, Indie Rock
Duração: 46:30
Nota: 2.5
Produção: Richie James Follin

A história do Guards não é diferente das de outras tantas bandas que surgem por aí: o grupo começa a produzir boas faixas, lança um bom EP, cria certa expectativa para seu álbum de estreia e não supre inteiramente o que “prometia” com suas antigas faixas. Infelizmente é exatamente isso o que acontece em In Guards We Trust.

Mais do que isso, esse é um disco que não alcança nenhum momento marcante ou realmente memorável, ainda que seja agradável e divertido de se ouvir como plano de fundo enquanto está se fazendo qualquer outra coisa. Outro ponto negativo aqui é que suas faixas são tão genéricas e sem personalidade que não deixam claro para o ouvinte qual a verdadeira cara da banda, tudo o que se vê é um monte de influências boiando juntas em um ensopado musical.

A pretensão Pop do trio se mostra intensa desde o inicio com o refrão pegajoso de Nightmare e Ready To Go, a pegada Arena Rock e os “ooooh ooohhs” de Giving Out, ou ainda com o Surf Rock Lo-Fi de Silver Lining. E muito da diversão e facilidade deste disco vem exatamente desta aproximação ao Pop, mas, no fim das contas, ela também o deixa extremamente genérico e sem sal, como se você já tivesse ouvido estas canções em outros lugares.

Porém, há também pontos interessantes dentro disco. Um deles é o vocal de Richie James Follin, que, assim como sua irmã Madeline Follin, frontwoman do Cults, traz um bom senso melódico que se une de forma contundente com as guitarras. Coming True é uma das melhores faixas para se observar o duo brincando junto, diminuindo e aumentando o volume e alcançando timbres diferentes durante toda a canção.

In Guards We Trust, mesmo que com faixas sonoramente diferentes, explora pouco e deixa a desejar no quesito originalidade. E o que mais incomoda aqui é que você verá diversas influências e inspirações, mas não conseguirá ver a real identidade da banda.

 2,282 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Veronica Falls, The Babies, Girls
ARTISTA: Guards
MARCADORES: Indie Pop, Indie Rock

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts