Resenhas

Heavenly Beat – Eucharist

John Peña apresenta faceta mais leve de seu “Prominence”

 1,593 total views

Ano: 2014
# Faixas: 12
Estilos: Beach Punk, Dream Pop
Duração: 40:28
Nota: 3.5
Produção: John Peña

A discrição acentuada de John Peña – o nome por traz do projeto Heavenly Beat – somada à suavidade de suas músicas em Prominence renderam comparações aos tratamentos homeopáticos da medicina alternativa. Agora, pouco mais de um ano distante de seu lançamento anterior, é chegada a vez de Eucharist, que continua, de certa forma, na mesma linha estilística de seus outros álbuns até então.

É possível enxergar em Heavenly Beat, de fato, uma evolução homeopática, que se distancia cada vez mais de Beach Fossils (Peña foi o baixista da banda até 2011) e se aproxima gradativamente do “beat” de seu nome. Ou seja, as guitarras vão perdendo seu foco e a bateria pende cada vez mais aos timbres eletrônicos, enquanto sintetizadores granulados do Dream Pop vão preenchendo a massa sonora nublada, liderados timidamente por uma voz aveludada (ou até mesmo sussurrada).

A impressão que se tem é que Heavenly Beat funciona muito bem enquanto um projeto solo que pode ser muito bem resolvido dentro de um quarto: gravações caseiras, lo-fi, espontâneas e introvertidas são a cara do projeto e sublinham a uma extensão sonora da personalidade de Peña. Sem deixar nada a desejar a seus álbuns anteriores, e oscilando entre o melhor e o pior de Real Estate ou Craft Spells, todavia com uma pegada mais delicada e uma aura mais solipsista, Eucharist é um bom álbum (quase inofensivo) para passar o verão.

Sugiro experimentar o álbum fora de sua ordem sugerida: a partir da faixa Legacy, podemos ter uma ótima ideia sobre a órbita das demais faixas do trabalho. Se você gostou de Prominence, Eucharist deve ter o mesmo peso pra você. Aliás, talvez mais justo dizer, a mesma leveza.

 1,594 total views

Autor:

é músico e escreve sobre arte