Resenhas

Hoaxx – Who’s the Queen

Duo londrino leva o Electro a outros níveis em álbum meticulosamente trabalhado com influências que remetem até mesmo ao Britpop

 1,714 total views

Ano: 2012
# Faixas: 11
Estilos: Electro-Pop, Eletrônica, Indie Eletrônico
Duração: 40'
Nota: 4.0
Produção: Kiez Beats

Justice e Yuksek te impressionam o suficiente? Este disco vem provar que as coisas não se privam àquele Electro francês típico. O duo londrino Hoaxx mostrou que merece seu espaço na cena eletrônica liberando seu álbum Who’s the Queen? com 11 faixas, uma mais bem trabalhada que a outra. O lançamento ingere doses significativas de Indie e Pop, com guitarras rasgadas, sintetizadores, pianos suaves e até badaladas de sinos.

E são com elas que Who’s the Queen se inicia, com Propecy, talvez a faixa mais suja de todo o álbum. Aqui, as guitarras distorcidas e os violinos mais agudos tem espaço. Nesse instante, Hoaxx convida seus ouvintes a uma viagem sonora que talvez nunca tenham experimentado. Dr. No parece, inclusive, sua continuação, porém com inícios de vocais disconexos. Em Marguarita, o vocal que lembra bastante a veia Britpop do duo fica cada vez mais evidente, até chegar em Each Other, quando as portas da Inglaterra se abrem de vez. Estamos falando talvez da melhor faixa de todo álbum (e a única que ganhou uma versão-extra, mais clean). A música te traz pra mais perto daquela vontade incontrolável de dançar, sentir cada timbre da forma mais intensa possível e até se arriscar a cantar os falsetes dos Londrinos. Essa é a diferença de Who’s the Queen. A impressão que dá é que todas as faixas foram feitas para serem únicas em seu sentido mais individual de batidas e influências.

E a veia do Pop britânico se mantém passando desde Let us Down, deixando aqui mais clara a influência do Indie que Hoaxx quis experimentar. Seus pianos são insubstituíveis. Existe, inclusive, uma abertura para uma brincadeira com a letra: “Cause the drums won’t let us down” se mistura facilmente com “drugs”. Menage a Cinq se transforma na maior referência possível dos tempos áureos de Justice. RATTT traz a agressividade e os cortes no vocal novamente, parecendo os lados-B mais escondidos do Daft Punk. Who’s the Queen, vindo pra fechar o álbum que leva o mesmo nome, talvez seja o ponto menos entusiamante de todo o conjunto. Entretanto, fecha a obra com toda a majestidade possível, da forma mais literal possível, tendo seu ritmo baseado na lembrança dos velhos reinos, fechando com a adoração de um público.

Em 2007, as coisas pareciam mais agressivas, e talvez esse seja o argumento que vou bater na tecla pra defender a superioridade dos ingleses nesse novo álbum. Aqueles que julgam a qualidade do electro pela quantidade de barulho e distorções talvez vão se frustrar escutando o novo trabalho da dupla, mas é válido ressaltar que, em Who’s the Queen, a produção está impecável e é nítido que o trabalho foi muito milimetricamente pensado para agradar os ouvidos mais chatos e seletivos possíveis.

 1,715 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Justice, Daft Punk, Clock Opera
ARTISTA: Hoaxx

Autor:

Publicitário que não sabe o que consome mais: música, jornalismo ou Burger King