Resenhas

How To Dress Well – Care

Ao tentar fazer um disco direto e divertido, Tom Krell perde sua personalidade em álbum muito discreto

923 total views, no views today

Ano: 2016
Selo: Domino
# Faixas: 12
Estilos: Pop, R&B, Alt-R&B
Duração: 59:00
Nota: 2.5
Produção: Tom Krell, Dre Skull

Vivemos um momento em que os maiores artistas Pop do planeta parecem estar se preocupando cada vez mais em utilizar a exposição que possuem para propagar mensagens de igualdade, respeito e justiça. How To Dress Well, em seu disco Care, decidiu ir no caminho oposto e preencher um vazio que percebeu haver na música Pop atual com a ausência de músicas mais diretas e divertidas, ou, como o próprio descreveu, “menos sérias”.

Tom Krell sempre representou muito bem o estereótipo do artista Pop de hoje. Se há algumas décadas o padrão era que os roqueiros surgissem de garagens ao redor do mundo, o esperado hoje é que os músicos que flertem com estilos mais sintéticos, seja a Música Eletrônica ou o R&B, surjam da frente de computadores em quartinhos pelo mundo. Krell sempre foi assim, tendo uma relação muito próxima com seus fãs, liberando versões inacabadas, ouvindo feedback sobre suas músicas, mantendo-se ativo nas redes sociais e em seu SoundCloud e, assim, construindo uma comunidade que influenciou bastante o que se desenvolveu como uma vertente mais alternativa do R&B.

Em Care, parece que o caminho escolhido pelo músico para se distanciar de uma estética mais caseira e mais Lo-fi o levou para um som com menos personalidade. Sua maneira de cantar, que nunca foi tradicionalmente bela, se destacava nos momentos em que Krell parecia se entregar à emoção – no caso, a tristeza – da canção e aqui ele parece não se comover com a alegria da mesma forma que se comovia em seus momentos mais depressivos.

Com letras que tratam superficialmente de relacionamentos, como no trecho “When you walked in, oh/Want to throw you down and take you right there/Yeah I want it/But I want it when you want it, baby” e melodias cheias de participações especiais discretas, o resultado foi um disco linear e pouco memorável. A música citada acima é Can’t You Tell, primeira faixa, single do álbum e ponto alto do trabalho. O hit em potencial, produzido por Dre Skull e com participação de Classixx, é contagiante, mas discreto se colocado ao lado de outros trabalhos Pop que seguem esta linha mais animada de Care e principalmente se colocada ao lado do restante do trabalho anterior do produtor.

How To Dress Well continua sendo um nome importante dentro da vertente menos Pop do R&B e sua percepção de que precisamos de música Pop “menos séria” sinaliza um possível caminho interessante para o estilo. No entanto, Care acaba ficando apenas na ideia e no discurso com um disco apenas levemente divertido, limpinho e bem produzido, mas muito discreto e fácil de esquecer.

(Care em uma faixa: Can’t You Tell)

924 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: The Weeknd, Blood Orange, Grimes
MARCADORES: Alt-R&B, Pop, R&B

Autor:

Nerd de música e fundador do Monkeybuzz.