Resenhas

How To Dress Well – Total Loss

O segundo disco Tom Krell mostra uma qualidade etérea que potencializa a melancolia de suas letras, que são postas sob um R&B em slow-motion

 2,956 total views

Ano: 2012
Selo: Weird World
# Faixas: 11
Estilos: R&B, Experimental
Duração: 42:30
Nota: 3.5

Poucos artistas conseguem se reinventar de forma a usar os mesmos elementos de trabalhos passados e conseguir um resultado completamente diferente. O primeiro disco de Tom Krell sob o nome de How To Dress Well, Love Remains, tinha uma forte influência do R&B, com os vocais em falsete, uma produção cheia de reverberações e uma estética Lo-Fi muito grande (chegando a ser incômodo às vezes). Naquela época, o que mais chamou a atenção nesta obra foi sua aura obscura e soturna, ainda mais quando a Chillwave ainda alcançava muita gente e esse tipo de som era bem inesperado, porém muito bem vindo.

Durante os próximos singles e EPs, Tom parece ter “limpado” a sua sonoridade e, principalmente, mudado de “humor”. Não posso dizer que o resultado de Total Loss foi inesperado, mas, com certeza, foi surpreendente. Krell se reinventa usando as mesmas batidas de R&B em slow-motion e o vocal em falsete para criar, desta vez, um disco sonoramente mais acessível e, de certa maneira, mais leve. Esta obra parece ser o oposto de Love Remains, como se ele apresentasse o outro lado da moeda de seu trabalho.

As músicas etéreas deste disco se contrapõem à profunda tristeza e solidão de suas letras. Se sonoramente o álbum parece ter ido para um lado mais iluminado, suas letras parecem ter sido jogadas ainda mais na escuridão.

O cuidado com produção e instrumentação está visivelmente melhor. E, talvez, a faixa Cold Nites seja a que melhor mostre essa evolução – os sintetizadores ficam ao fundo construindo a atmosfera da faixa e o piano entra dramaticamente enquanto Tom entrega sua dolorosa letra cantada em falsete. Esse cuidado maior se nota em quase toda a obra, que abandona de vez estética Lo-Fi de seu primeiro trabalho.

Porém, mesmo com essa qualidade sonora apurada para os ouvidos mais Pop, os vocais ainda parecem sumir em algumas faixas, ficando “borrados” em meio a tantos efeitos e reverberações. Sua maneira de cantar ainda parece meio tímida, perdendo a força em algumas faixas como & It Was U que, basicamente, consiste em um fundo criado por estalar de dedos e sua voz, que parece não ter força suficiente para aguentar sozinha o fardo de uma música como essas.

O R&B melancólico e às vezes minimalista de How To Dress Well, assim como o nome do álbum pode sugerir, fala muito sobre perdas e experiências como essas são confusas, incertas e certas vezes desconfortáveis, mas que sempre podem ser minimizadas. E Total Loss é um ótimo exemplo disso.

 2,957 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Twin Shadow, Perfume Genius, Frank Ocean
MARCADORES: Experimental, R&B

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts