Resenhas

Howler – World of Joy

Segundo álbum da banda não se iguala ao anterior e acaba ofuscado pelo mesmo

 2,340 total views

Ano: 2014
Selo: Rough Trade
# Faixas: 10
Estilos: Garage Rock, Surf Rock, Indie Rock
Duração: 27:30
Nota: 3.0
Produção: Steve Cruze

É comum surgirem bandas para as quais todos os holofotes se voltam e muito delas se falam. Em 2012, foi a vez de Howler, uma banda que do nada apareceu e foi comentada em todos os cantos, sendo até comparada por alguns veículos como nomes já solidificados da cena. O disco de estreia – America Give Up- foi muito bem recebido e criou uma expecativa em cima dos garotos de Mineáplois. Agora, após ficarem um tempo afastados e quase sem dar as caras na mídia, os rapazes retornam com seu segundo disco, World of Joy

Se para bandas que já chegam mais solidificadas, a sina do segundo disco – a de se reafirmar a identidade vista no primeiro trabalho – é grande, para uma banda que surgiu quase como um hype e em meio a comparativos, tal fato se torna ainda mais importante e desafiador. Aqui, no caso de Howler, vemos um bom álbum, mas não tão encantador quanto sua estreia.

Menos Pop, World of Joy acaba perdendo em apelo de hits. Se em America Give Up os primeiros acordes de This One’s Diferent, Told You Once e Back of Your Neck já cativavam o público, no novo trabalho a missão fica mais difícil, tendo o single Indictment e, talvez, Al’s Corral como os principais propulssores para os ouvidos do público.

Por outro lado, deixando a questão de presença de hits, World of Joy positivamente soa menos preso a formulações Pop e de estruturas que parecem ter de serem preeenchidas, como fazem algumas bandas. Assim sendo, Here’s The Itch That Creeps Trough My Skull e a faixa título fogem do estilo comum dos garotos, sendo a primeira quase que uma balada, e a segunda deixando de lado os vocal blasé de Jordan.

No entanto, num apanhado geral, World of Joy se mostra um disco que fica facilmente ofuscado por America Give Up. Mesmo repetindo a fórmula em algumas faixas do disco atual, como em In Teh Red e suas guitarras Surf Rock e Don’t Wanna com suas camadas leves deixando os vocais despojados ditarem a regra, as composições acabam não sendo da mesma altura que as ótimas do trabalho anterior. Resta saber se america Give Up foi um lapso criativo do rapazes ou se World of Joy foi apenas um disco não tão inspirado, e que mesmo sendo interessante, acabou tendo um invevitável comparativo com um disco que chocou positivamente a todos.

 2,341 total views

BOM PARA QUEM OUVE: The Cribs, The Vaccines, The Strokes
ARTISTA: Howler

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).