Resenhas

Jessie Ware – Devotion

O Pop estruturado se une ao Soul sensual de forma homogênea no disco de estreia da cantora britânica

3,618 total views, 1 views today

Ano: 2012
Selo: Universal Island Records
# Faixas: 11
Estilos: Neo Soul, R&B, Pop Soul
Duração: 42:10
Nota: 4.0
Produção: Universal Island Records

A invasão musical britânica ao redor do mundo começou na metade dos anos 60 com roqueiros charmosos que provocavam o desmaio das garotas mais envolvidas com as canções que ouviam. A partir daí, foi impossível controlar o desenvolvimento de demais estilos que se destacavam provindos da mesma região do globo, como aconteceu com a New Wave, o Britpop nos anos 90, e mais recentemente o espaço ao consistente Soul de Amy Winehouse e Duffy. E é partir daí que começamos a falar de Jessie Ware.

A cantora, que se aproxima a idade das balzaquianas, mostra que a pretensão jovial de ser uma rockstar passa longe de seu real objetivo em Devotion. A música não parece ser um artifício para fazer pose em revistas fazendo beicinho (Alô, Lana Del Rey). A coesão e o foco de Jessie dão dez passos a frente de muita gente que começa logo após a sua maioridade, deixando claro que sua intenção não é embater, mas mostrar ao que veio.

Já tendo trabalhado como Backing Vocal do projeto eletrônico SBTRKT, Jessie traz para seu som algumas dessas bases sintetizadas de forma sutil. Uma boa maneira de definir seu disco é através do termo Soul Pop. Pensando praticamente, uma mistura homogênea do Pop mais conciso do último álbum de Beyoncé e o bass compassado e vocais sensuais do repertório geral de Sade traduzem o disco solo de Ware.

A reascensão do Hip-Hop nos últimos anos e o destaque de bons nomes na Neo Soul foram um dos maiores motivos para que o material produzido pela cantora fosse levado em conta pelos criticos do impresso e da geleia digital. Faixas como Night Light, Something Inside e o destaque de Wildest Moments dão o balanço mais comercial à música da intérprete sem forçar a barra, o Soul e suas vertentres mais concentradas são relembrados em Sweet Talk, numa batida dance com samplers rimados em 110% e o acompanhamento de guitarras dedilhadas em No To Love.

Como balanço geral do álbum de estreia, a londrina revela sua aura desbravadora de estilos sem perder sua devoção pela base musical do R&B, abrindo e fechando um ciclo de novidades de forma classuda.

3,619 total views, 2 views today

ARTISTA: Jessie Ware
MARCADORES: Neo Soul, R&B, Soul, Soul Pop

Autor:

Jornalista por formação, fotógrafo sazonal e aventureiro no design gráfico.