Resenhas

Johnny Cash – Out Among The Stars

Disco é uma compilação de faixas nunca antes lançadas, encontradas por seu filho John Carter Cash

 2,131 total views

Ano: 2014
Selo: Epic
# Faixas: 13
Estilos: Country
Duração: 39:13
Nota: 3.0
Produção: Billy Sherrill

John Carter Cash, filho de Johnny Cash e June Carter, estava pesquisando os arquivos de gravações do pai na Legacy Records quando encontrou nada menos que um álbum inteiro, gravado em 1984 e arquivado na época. Movido pela boa qualidade dos registros, John resolveu lançar Out Among The Stars, mesmo sabendo que Johnny decidira engavetar o disco por não concordar com as tonalidades Country Pop que o produtor Billy Sherrill conferira às canções, mesmo que seu trabalho anterior, Rainbows (1983), tenha sido produzido por Chips Moman, o sujeito que encontrou a veia Pop de Willie Nelson em Always On My Mind e o reinventara como intérprete de standards da canção americana mais clássica. Sendo assim, o resultado da produção de Moman era bem distante do que Cash entendia por Country. A de Sherrill talvez seja até mais próxima.

O Johnny Cash de Out Among The Stars é bem diferente daquele conhecido pelos apreciadores mais jovens de música, arrebanhados nos anos 1990, através das American Recordings ou, mais tarde, após deixarem as sessões de Johnny & June, filme dirigido por James Mangold, em 2006. Os anos 1980 são um tempo estranho e decadente para Cash e a maioria dos artistas Country mais tradicionais. Perdidos numa época em que a música popular se tornava universal e o Country enfrentava uma crise de identidade diante da urbanização das cidades e dos próprios artistas, a imagem de Man In Black de Cash parecia anacrônica e sem propósito. Mesmo assim, a média de acertos do disco é suficiente para credenciá-lo aos fãs, novos e velhos.

A faixa-título dá a partida, já possibilitando notar a produção cuidadosa mas asséptica de Billy Sherrill. Se a impressão inicial é de cautela, o surgimento de Baby Ride Easy, dueto com June Carter, acena para as canções com andamento mais rápido, com direito a solos curtos de banjo e guitarra e uma história de amor como pano de fundo. O clima plácido de She Used To Love Me A Lot acena para os momentos mais introspectivos de Cash, com destaque para sua impressionante voz, intacta. Uma tentativa de canção mais Pop surge com a balada pungente After All mas I’m Movin’ On (dueto com seu grande companheiro, Waylon Jennings), talvez a melhor canção do disco, surge teimando em levar o ouvinte para algum ponto do início dos anos 1970, algo que a canção seguinte, If I Told You Who It Was, também se esforça para fazer, sem muito sucesso. Call Your Mother é mais lenta e revisita as narrativas mais lineares do estilo, preparando o terreno para a chegada de I Drove Her Out Of My Mind, com direito a letra semideclamada e espírito de cowboy que sai para comprar um pacote de cigarros para nunca mais voltar.

O Country mais tradicional surge novamente com o andamento sincopado de Tennessee e Rock And Roll Shoes mas algum toque do Johnny Cash trovador de outros tempos surge Don’t You Think It’s Come Our Time, em outro dueto com June. I Came To Believe é a representante da alma Gospel que sempre existiu no Homem de Preto e o fecho com She Used To Love Me A Lot ressurge com a produção refeita e privilegiando o instrumental esparso e acentuando o registro apocalíptico de Cash, conformado com a perda de um amor. O lançamento de Out Among The Stars é uma boa pedida para os que desejam se aprofundar no legado de Johnny Cash, jogando luz sobre uma fase pouco conhecida/esquecida de sua carreira. Está longe do seu melhor mas é bem eficaz.

 2,132 total views

ARTISTA: Johnny Cash
MARCADORES: Country

Autor:

Carioca, rubro-negro, jornalista e historiador. Acha que o mundo acabou no meio da década de 1990 e ninguém notou. Escreve sobre música e cultura pop em geral. É fã de música de verdade, feita por gente de verdade e acredita que as porradas da vida são essenciais para a arte.