Resenhas

Johnny Fox – Through a Pinhole…

Deixando o violão de lado, este é um álbum de Folk que foge dos lugares comuns e aposta no piano e sintetizadores para criar uma nova roupagem ao estilo

1,516 total views, no views today

Ano: 2012
Selo: Independente
# Faixas: 3
Estilos: Indie Folk, Folk Eletrônico
Duração: 12:05
Nota: 4.0
Produção: Johnny Fox

Sempre que se vê a tag Folk, já vem à nossa cabeça os lugares comuns do estilo e as músicas que contam somente com o violão e a voz do interprete. Quem já ouve o gênero há muito tempo sabe identificar muito bem os pontos em comum e quase que já sabe o que esperar de um disco. Porém, este é um álbum que quebra qualquer previsão ou ideia do que pode vir pela frente.

Quando acompanhamos um show de Johnny Fox, guiados exatamente por voz e violão, nunca imaginaríamos o que estaria presente em Through a Pinhole…. O curto EP do jovem irlandês se desprende do estilo, ou melhor, experimenta com ele – mantendo somente as letras sinceras e viscerais e a interpretação que só o Folk tem.

A aura Lo-Fi de seus discos anteriores ficou de lado e, no lugar, entra um som grandioso e muito bem produzido. A música que abre o disco não me deixa mentir: The Outside parece algo do tipo que Thom Yorke e sua banda já fizeram em algum momento de sua carreira, mas essa semelhança não vem em forma de cópia. Guiada por um piano simples, a música ganha destaque pela incrível percussão e pela interpretação do cantor.

We’re Not Bad People é outra canção que se distancia muito das raízes do estilo e experimenta com sintetizadores em uma espécie de Folk Eletrônico, que pode lembrar um pouco os trabalhos mais recentes de Bon Iver e Sufjan Stevens. A música, assim como sua antecessora, aposta na sessão rítmica (dessa vez, mais simples e calma) para ganhar mais força no fundo perfeito para sons eletrônicos.

O piano volta em cena na canção que fecha o EP e faz quase todo o trabalho sozinho (as guitarras entram apenas no ápice da música) e acompanha Fox na canção mais melancólica do registro. Don’t Belong to Me mostra a beleza do vocal triste que acompanha perfeitamente a letra. Fugindo da estética purista do Folk, o EP que mostra uma versão diferente do estilo, se utilizando dele como referência apenas. Seu único problema é ser muito curto e suas três músicas nos deixam com aquela sensação de querer ainda mais do músico.

1,517 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Sufjan Stevens, Grizzly Bear, Bon Iver
ARTISTA: Johnny Fox

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts