Resenhas

Julianna Barwick – Rosabi

Artista lança obra de música atmosférica associada a marca de cerveja

 1,540 total views

Ano: 2014
Selo: Dead Oceans
# Faixas: 4
Estilos: Eletrônico Experimental, Drone Music
Duração: 16:21
Nota: 2.5
Produção: Julianna Barwick

Julianna Barwick, pouco menos de um ano após o lançamento do seu bem-sucedido álbum Nephente, volta com um novo trabalho. Desta vez, de curta duração, o álbum está associado a uma estratégia de marketing bastante interessante. Rosabi é um EP de apenas quatro canções e foi produzido em parceira com a cervejaria Dogfish Head Brewery, feito especialmente para a cerveja que leva o mesmo nome, uma Imperial Pale Ale que leva toques de arroz vermelho e wasabi em sua receita.

Para o processo de composição de Rosabi, Barwick utilizou sons do próprio processo de fabricação da cerveja em si, e, embora não sejam extremamente evidentes (com atenção é possível escutar um pouco do ruído do maquinário em Blood Brothers, por exemplo), a presença conjugada da feitura tanto da bebida quanto da música tornam Rosabi uma obra tanto para o paladar quanto para a audição, que compartilha do mesmo DNA em ambos os processos.

Continuando na mesma linha de criação que adotou ao longo de sua carreira, Rosabi é composto de uma aura atmosférica fria, à la Sigur Rós, feita de sons doces e densos, compostos essencialmente por linhas vocais sem letra que são sobrepostas em looping para criar um tecido harmônico suave. Ou seja, mais um trabalho com cara de trilha sonora que rendeu comparações aos grandes Steve Reich ou Brian Eno.

Rosabi, um experimento que não deixa nada a desejar no que Barwick faz de melhor com a criação de suas atmosferas, mas que ao mesmo tempo, não ganha nenhum destaque dentro de sua obra, ainda mais se comparado ao seu ótimo álbum anterior, vai agradar aos fãs da moça, e do estilo, e ganha grande ponto diferencial por estar associado ao processo de desenvolvimento de uma cerveja desde sua gênese.

 1,541 total views

Autor:

é músico e escreve sobre arte