Resenhas

Kristin Kontrol – X-Communicate

Estética oitentista e temas amorosos acertam em cheio novo projeto musical

 1,235 total views

Ano: 2016
Selo: Sub Pop Records
# Faixas: 10
Estilos: Synthpop
Duração: 39:00
Nota: 3.5
Produção: Kurt Feldman, Andrew Miller

A distância artística entre projetos que um músico pode chegar muitas vezes surpreende. No caso de Dee Dee, líder e vocalista da sessentista e frenética Dum Dum Girls, seus novos passos a levaram a distâncias temporais gigantes – mais precisamente duas décadas. Kristin Kontrol, seu novo projeto, pula para os anos 1980 enquanto tenta ao mesmo tempo criar uma grande ponte com o que é produzido e consumido nos tempos atuais. Longe do cheiro nostálgico de formol, X-Communicate dialoga muito bem com a música contemporânea e traz à tona as melhores qualidades da artista: sua capacidade em nos capturar pelos ouvidos através de melodias muito açucaradas.

Enxergando o gênero em sua história, podemos sempre associá-lo à vontade em se criar hits imediatos e isso ocorre aqui em algumas ocasiões, como Show Me ou White Street – dois momentos que nos fazem literalmente viajar no tempo. Com letras românticas e sonhadoras, Dee Dee muitas vezes parece querer dialogar com um público mais novo, no entanto uma atenção aos detalhes nos pode conferir que sua vontade é mostrar que está em outro momento sentimental em sua carreira: Sai o Rock para entrarem os passos de dança. O disco agrada quando tenta criar grandes baladas, nos lembrando um pouco o primeiro disco de Haim como na faixa título, em What Is Love ou na excelente (Don’t) Wannabe.

Todavia, ao caminhar em sua duração, a obra se revela cada vez mais contemporânea. Skin Shed só poderia surgir em 2016 após o turbilhão de referências e sua a direção focada na Música Eletrônica. Going Thru the Motions nos parece ser o grande hit de sucesso do trabalho, no sentido em se tornar um potencial hino radiôfonico e uma faixa para ser endeusada em algum concerto feito para arenas. Existem vestígios psicodélicos no disco, principalmente no tratamento estético de vozes ecoadas e sintetizadores carregados em delay – podem ser claramente influências do último disco de Tame Impala. Drive the Night se encaixa nesse parâmetro e pode ser considerado um dos momentos mais dançantes da obra.

Quando imaginava-se um trabalho novo de uma compositora de mão cheia e dona de uma das bandas mais divertidas da atualidade, X-Communicate certamente não seria a primeira sugestão. No entanto, as escolhas mais amplas e o foco em uma década que sempre ousa voltar com força total, mas que acaba prendendo-se em somente alguns nichos, pode ter sido o grande ponto da estreia de Dee Dee como Kristin Kontrol. Sua obra não reinventa a música e tampouco ousa ser extremamente original, mas acerta ao colocar as melodias da cantora em primeiro plano, exarcebar sua feminilidade e concentrar-se em algo tão palatável quanto o amor. Ao pegar o vácuo musical dos últimos três anos, Dee cria uma obra solo para torná-la grande em pouco tempo.

(X-Communicate em uma música: Skin Shed)

 1,236 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Mahmundi, Haim, La Roux
MARCADORES: Synthpop

Autor:

Economista musical, viciado em games, filmes, astrofísica e arte em geral.