Liima – 1982

Disco experimenta com synths referenciando sua década mais icônica

983 total views, 1 views today

Ano: 2017
Selo: City Slang
# Faixas: 8
Estilos: Pop Psicodélico, Synthpop, Experimental
Duração: 37'
Nota: 4.0
Produção: Chris Taylor

Em época de Stranger Things, os synths sobrecarregados parecem ter voltado à tona como não se via (ou ouvia) com tanto peso desde a temporada 2011/2012. E há muito deles e da década de 1980 como um todo, até mesmo no título, novo álbum do projeto sueco Liima.

1982 convidou Chris Taylor (da banda Grizzly Bear) para o cargo de produtor e investiu tudo o que tinha em uma ambientação próxima ao referencial da ficção-científica, com passagens etéreas e sintetizadas que adornam um aspecto imponente e grandioso presente ao longo do disco.

É o contrário do que muitas das bandas fazem dentro do Indie, aquele som convidativo para você ouvir em um lugar pequeno – ou no fetiche de “quanto menor, melhor”. Liima, dessa vez, evoca até mesmo traços de um Coldplay na era X&Y (2005), ou de um Daft Punk de poucos anos antes, para trabalhar um som digno de grandes plateias e experiências megalomaníacas de projeções, luzes e efeitos especiais no palco.

A faixa-título, que faz também as vezes de abertura, dá esse tom, seguida por uma David Copperfield de quase sete minutos de duração. Não demora muito para o ouvinte entender que a pegada do disco é se estender por várias longas medidas, sejam elas no tempo ou no volume sonoro. Há também um aspecto meio Pop Eletrõnico europeu pós-Kraftwerk, meio Pós-Punk evidenciado em canções como People Like You e Life Is Dangerous, um referencial que nem sempre ouvimos hoje em dia.

Isso confere um aspecto um pouco datado à obra, como se ela se parecesse demais com a produção de cerca de dez anos atrás, com um tempero de Psicodelia situando o lançamento em 2017. É nesse terreno que 2-Hearted brilha como a melhor música do disco (e, não à toa, foi usada como single na divulgação), já que ela carrega um certo “frescor” que falta nas demais do repertório.

De qualquer forma, 1982 vem para agradar em cheio o fã (saudoso) desse tipo de música, um Synthpop que não se limita em si só e experimenta com o Rock e o Pop enraizado na década de 1980. Uma obra bastante sólida, mas que teria sido melhor aproveitada se lançada há alguns poucos anos.

(1982 em uma música: 1982)

984 total views, 2 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Coldplay, Daft Punk, M83
ARTISTA: Liima

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.