Resenhas

Mark Ronson – Uptown Special

Produtor continua mostrando seu talento em um disco ambíguo

 3,342 total views

Ano: 2015
Selo: Columbia
# Faixas: 11
Estilos: R&B, Neo-Soul, Pop
Duração: 38:39
Nota: 3.5
Produção: Mark Ronson, Bruno Mars e Jeff Bhasker
Itunes: https://itunes.apple.com/us/album/uptown-special/id943946661?uo=4

Mark Ronson é a definição de “cool” moderno. O prestigiado produtor já trabalhou com grandes nomes da indústria Pop, tendo em seu currículo nomes como Amy Winehouse, Paul McCartney e Adele. Vindo de uma tradição Soul, Mark está inserido neste contexto há um bom tempo e a familiaridade com o gênero lhe rendeu discos extremamente bem produzidos que sempre se destacaram pela pureza e brilho de um gênero tão suave quanto este. Em Uptown Special, o produtor inglês não foge desta regra e amplia seu universo com parcerias com personalidades tanto do gênero quanto de outros, desta forma, incorporando uma nova perspectiva ao seu trabalho.

É aí que reside a grande ambiguidade do disco. As diferentes visões que as parceiras acrescentam à obra de Mark impõem uma dinâmica nova e interessante, mas, ao mesmo tempo, cria uma ausência de foco e/ou identidade musical. Não que seja um disco confuso, mas temos a impressão de que é um trabalho muito mais voltado para um formato “Greatest Hits”, no qual cada faixa parece ter saído de um lugar diferente, o que pode tanto cansar o ouvinte como instigá-lo a explorar o registro mais ainda. É certamente um trabalho que depende muito da percepção de quem o escuta, mais do que qualquer outra obra da discografia de Mark.

Entretanto, é impossível questionar a qualidade das faixas. Seja explorando um lado mais psicodélico do Funk em Daffodils com Kevin Parker, um dos nomes mais respeitados da psicodelia de hoje, ou emplacando um Hip Pop junto a Bruno Mars, o disco traz onze exemplos de um domínio pleno de engenharia de som, bem como um cuidado específico que Mark tem com cada uma festas faixas. Ainda que as composições totalmente Funk explorem alguns clichês do gênero, elas são dotadas de uma aura setentista bem forte, que daria orgulho a James Brown.

Com sonoridade bem exploradas e ótimos singles, Mark não faz nada além do esperado, ou seja, mostra o talento já conhecido com diferentes olhares sobre a música contemporânea. Um ótimo registro recheado de hits e singles com uma proposta ambígua, mas que apenas reforçam a qualidade de Mark Ronson como produtor.

 3,343 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Antimatter People, Prince, Sinkane
ARTISTA: Mark Ronson
MARCADORES: Neo Soul, Pop, R&B

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.