Resenhas

Melkbelly – PITH

Segundo disco da banda de Chicago brinca com expectativas do ouvinte e apresenta Noise cheio de personalidade (e volume)

314 total views, no views today

Ano: 2020
Selo: Wax Nine/Carpark Records
# Faixas: 11
Estilos: Noise
Duração: 39'

Há muito o que se ouvir em menos de 40 minutos no disco PITH, a segunda entrada que a banda estadunidense Melkbelly apresenta para sua discografia. Suas 11 faixas trazem diferentes intensidades e humores em um som complexo e cheio tanto de personalidade, quanto de volume.

Pertencente a uma cena alternativa e vanguardista de Chicago, o grupo desenvolve sua produção dentro de uma ideologia artística que provoca alguma reação direta e espontânea do ouvinte. Não é um som para dar o play e apenas curtir: você logo nota que seu corpo inteiro responde ao estímulo sonoro, quer você queira ou não.

Para isso, Melkbelly utiliza alguns recursos bastante eficazes, como os momentos de explosão sonora seguidos de repetição (caso de “Humid Heart” e da extensa “Kissing Under Some Bats”, dois dos pontos mais altos da obra), que conseguem prender a atenção até dos mais distraídos. Após estabelecer uma dinâmica de surpresas em ritmo e elementos que surgem nas músicas (como em ‘Sickeningly Teeth”), o engajamento do ouvinte, que nunca sabe o que encontrará em cada esquina da obra, permanece ativo até o último segundo.

Em contraponto, as letras ficam entre um bom humor sacana e despretensioso, aquele que dispensa certa lógica ao falar do que é sentido com intensidade. Com versos sobre uso de entorpecentes e figuras de linguagem bastante vívidas, como notar algo preso entre os dentes de alguém, o universo lírico ajuda a distanciar o grupo de comparações com o Emo e outros estilos mais próximos de sentimentos tido como negativos (o que fica muito bem com este Noise com o qual a banda dialoga).

O vocal entre a despretensão e o tédio também ajuda a construir a identidade que Melkbelly apresenta nessas músicas. É uma banda que sabe brincar com nossas expectativas enquanto desenvolve o repertório do disco (daí um sorriso ao notar a simpática “Season of the Goose” ou o fade in que inicia “Stone Your Friends”) e nos levar para caminhos tão intensos dentro de faixas, no geral, curtas. Após tantas sensações ao escutar o disco, fica a noção de que um som tão hiperbólico faça por merecer elogios sempre superlativos.

(PITH em uma faixa: “Humid Heart”)

315 total views, no views today

ARTISTA: Melkbelly

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.