Resenhas

Metric – Synthetica

Com seu som característico, banda apresenta seu clássico New-Wave Indie e ainda traz faixa em parceria com Lou Reed

3,060 total views, no views today

Ano: 2012
Selo: Metric Music International
# Faixas: 11
Estilos: New Wave, Indie Eletrônico, Post-Punk
Duração: 43:11
Nota: 3.0
Produção: Metric

Após três anos desde o último lançamento, os canadenses/nova-iorquinos do Metric vem com o quinto disco de estúdio, Synthetica, que traz a cara de sempre da banda. E, por isso, o álbum só tem motivos para cair nas graças dos inúmeros fãs da banda.

Com o vocal característico de Emily, que oscila desde o mais Rock‘n’Roll até o mais Pop, passando pelo soturno e o sombrio, a carga New-Wave conhecida de todos é o que mais marca presença no álbum. Com uma cara menos Indie Rock, com guitarras e baixo como podiam ser percebidos no disco Live It Out (2005), a banda segue mais os tão conhecidos moldes eletrônicos que apresentam em seus trabalhos.

Synthetica começa muito bem com a crescente Artificial Nocturne, com seus primeiros dois minutos envolventes que servem de introdução para o resto da canção. Uma boa música para se iniciar um álbum. A segunda faixa é o single Youth Without Youth, com o vocal sexy de Emily Haines e batidas ótimas para uma pista alternativa, que fazem a faixa ganhar destaque no disco. O mesmo pode ser dito para a seguinte, Speed the Collapse.

Nada como uma canção mais doce no meio de um disco do Metric. A da vez é a excelente Breathing Underwater. Com um refrão envolvente, melodia acolhedora e vocal pop na medida certa, a faixa com certeza vai ser uma das favoritas do disco para o público.

Bem Post-Punk dos anos 80 apresentando uma boa linha de teclado e baixo, a homônima ao álbum vem com uma cara mais encorpada que as demais músicas do disco. Apesar do nome, a faixa passa longe de ser sintética e se apresenta bem orgânica.

Em The Wanderlust, temos uma surpresa: uma parceria com Lou Reed. Sim, o ex-Velvet Underground e grande nome da música cede sua voz no meio do refrão da penúltima faixa do disco. Faixa essa que, além de contar com essa parceira, é muito boa.

Synthetica é um “disco mais do mesmo” do Metric. Porém, esse mais do mesmo dos caras é sempre algo interessante. E não deu outra: com faixas que vão em pouco tempo estar nas pistas dos clubes alternativos das grandes cidades, o álbum traz mais material New-Wave e Indie Eletrônico de qualidade para os fãs do estilo.

3,061 total views, no views today

Autor:

Marketeiro, baixista, e sempre ouvindo música. Precisa comer toneladas de arroz com feijão para chegar a ser um Thunderbird (mas faz o que pode).