Mick Jenkins – Pieces of a Man

Inspirado por Gil Scott-Heron, rapper lança álbum de forte teor político

623 total views, 1 views today

Ano: 2018
Selo: Free Nation, Cinematic
# Faixas: 17
Estilos: Rap, Hip Hop
Duração: 53:11
Nota: 4.0
Produção: Kaytranada, THEMpeople, Nez & Rio, BadBadNotGood, Black Milk, Dee Lilly, High Klassified, OV, Green Sllime, Nissim, STLNDRMS, Ben Hixon, Alexander Sowinski

Dois anos depois do elogiado álbum The Healing Component, o rapper de Chicago (EUA) Mick Jenkins lança Pieces of a Man, um trabalho em grande medida inspirado ‒ como o seu próprio nome denuncia ‒, pela música de Gil Scott-Heron. Neste intervalo temporal, Jenkins havia lançado algumas mixtapes que denunciavam o clima do que estava por vir, com composições marcadas pela ansiedade e pela frustração do artista diante do mundo. No entanto, a chegada de seu mais recente trabalho mostra que é outra a palavra de ordem por aqui: a política.

A força de Pieces of a Man vem do discurso de Heron, homenagem assumida e que toma forma nas faixas Heron Flow e Heron Flow 2, na qual Jenkins imita o seu ídolo, em uma espécie de proto-Rap misturado ao Soul. É um Spoken Word que vasculha as origens do Hip Hop, para absorver o teor de sua entonação mas que responde a um contexto atual altamente politizado. Assim como BlacKkKlansman, filme de Spike Lee, Pieces of a Man chega em um contexto em que o resgate da história pronuncia-se com uma assustadora relevância.

A estratégia parece um tanto quanto recorrente nos dias de hoje: artistas propõe trabalhos que evocam assumidamente suas referências, emprestando elementos literais de música que os formaram ‒ é o que fez Childish Gambino fez em seu Awaken, My Love!, ou Freddie Gibbs em Freddie, por exemplo. Será interessante notar que Mick Jenkins, no entanto, também gosta de se misturar na cena contemporânea, uma vez não será difícil de perceber a influência dos coletivos Odd Future (Soft Porn) e A$AP Mob (U Turn) por aqui.

Com Pieces of a Man Mick Jenkins crava seu lugar entre artistas mais proeminentes da sua geração. Lança um olhar à sociedade em que vive ‒ assim como fez Heron ‒, mas vê estas forças refletidas na sua vida pessoal, expondo os fragmentos de si que foram moldados pelo contexto em que vive. De maneira afiada e sofisticada, Jenkins adapta sua voz mutante a um discurso verborrágico em um trabalho que não está “à frente do seu tempo”, como costuma dizer o clichê, mas sim parece refletir o presente em tempo real.

(Pieces of a Man em uma música: Understood)

624 total views, 2 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Saba, Isaiah Rashad, Earl Sweatshirt
ARTISTA: Mick Jenkins
MARCADORES: Hip Hop, Ouça, Rap

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.