Resenhas

Moodoïd – Moodoïd

Trabalho de estreia do projeto de Pablo Padovani, guitarrista do Melody’s Echo Chamber, se torna um dos mais imaginativos exemplares da psicodelia deste ano

 2,698 total views

Ano: 2013
Selo: Entreprise
# Faixas: 4
Estilos: Rock Psicodélico, Pop Psicodélico
Duração: 23:02
Nota: 4.0
Produção: Kevin Parker
SoundCloud: /tracks/99349179
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fmoodoid-ep%2Fid67841

Moodoïd é o projeto de Pablo Padovani, guitarrista da banda de Melody Prochet, o Melody’s Echo Chamber, que você provavelmente já deve conhecer por ser dono de um dos melhores discos de estreia do ano passado. Se você gosta da banda de Prochet, se prepare para receber ainda mais tons psicodélicos, pois a aura lisérgica dos trabalhos de Melody e de Kevin Parker (líder do Tame Impala e produtor desta obra) será vista aos montes neste pequeno e autointitulado EP.

Com a psicodelia como guia, Padovani exercita o estilo em diversos caminhos interessantes, conferindo uma boa mobilidade aos pouco mais de 23 minutos que formam a pequena obra. Je Suis La Montagne abre o EP trazendo um pouco do clima sonhador de Melody’s Echo Chamber, porém com sem os usuais sintetizadores. No lugar deles entram guitarras cheias de reverberação e eco, construindo uma melodia repetitiva e hipnótica, algo que pode lembrar bastante as de Innerspeaker, álbum de estreia do Tame Impala. Algumas pequenas inserções de gritos, cítaras e flautas só aumentam o potencial “viajante” da música.

Se a primeira canção busca inspiração no Tame Impala, a segunda parece trazer mais do projeto de Melody. La Chanson Du Ciel De Diamantes destila a mais pura psicodelia com o ótimo duo de guitarras e sintetizadores, sendo complementado por sons de teclados e saxofones. Com toques do Pop Barroco e da Tropicália, esta música se torna a mais atmosférica e expansiva de toda a obra.

Mudando de ares, De Folie Pure usa outros elementos para emanar o espírito lisérgico da obra. Com uma forte percussão (sendo o ritmo uma das principais características desta faixa) e abrasivos saxofones, a faixa soa como um encontro da sonoridade exótica de bandas como Goat e Melt Yourself Down, se tornando uma daquelas músicas que é simplesmente impossível se conter e ficar parado.

Fechando a obra, Je Sais Ce Que Tu ES recupera a perspectiva “Tame Impalesca” do Rock/Pop Psicodélico, porém de forma pouco mais ácida e brincando um pouco mais com a técnicas de produção (ouça através dos fones de ouvido e vai entender). Em seus sete minutos a faixa viaja por elementos diversos, alguns mais apegados ao Pop e fácil digestão e outros mais experimentais, o que pode lembrar um pouco clássicos como Pink Floyd ou The Flaming Lips.

Longe de ser só mais uma entre o vasto acervo de obras do estilo, a competente estreia do grupo com este EP se torna motivo de ansiedade para próximas obras e esperança para que ele seja um pouco maior que esta.

 2,699 total views

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts