Resenhas

NAO – For All We Know

Disco de estreia de produtora acerta na mistura de referências antigas e contemporâneas

 2,788 total views

Ano: 2016
Selo: Little Tokyo Recordings
# Faixas: 18
Estilos: Neo Soul, RnB, Synthpop
Duração: 53:39
Nota: 3.5
Produção: NAO, GRADES, John Calvert, Loxe, A.K. Paul, Stint, Jungle, Christian Gregory, Miles James e Royce Junior

NAO era um mistério, e como todo bom enigma, o pouco que sabemos é o suficiente para permear nossas cabeças por muito tempo. A produtora e cantora inglesa começou a revelar pequenas amostras de um grande talento, a partir de excelentes singles como Bad Blood e I Was Fool To Love You e um EP que revelou uma precisa e deliciosa mistura de Soul e R&B. Mais do que uma sonoridade interessante, sua voz doce e alegre nos trazia a imagem de uma jovem diva cujas melodias e letras trazia à tona a memória dos anos 1990, mas sob uma óptica do novo milênio. Agora, com o lançamento de seu primeiro disco de estúdio, o mistério está encerrado mas, felizmente, NAO não sairá de nossa cabeça tão cedo assim.

For All We Know é mais do que uma extensão de seus lançamentos anteriores. É a finalização de um quebra-cabeça que compõe nitidamente a identidade de NAO enquanto artista. Um instrumental que não nega sua origem nostálgica de sintetizadores futuristas, mas traz ao mesmo tempo uma aura Soul digna de grandes cantoras do passado. É um disco de R&B que tem firmes as raízes da década de 90, mas traz elementos fortes da produção eletrônica pós-2010. Tudo isto servindo como pano de fundo para a cantora traga uma letras extremamente sensíveis ao amor, a paixão, o ódio, as relações e os laços humanos, produzindo assim, um trabalho que além de ser promissor em suas fusões de referências, traz um relato sincero e humano de NAO.

Como dito, é um disco em que o passado e futuro estão unidos por meio das percepções da produtora/cantora. Vários singles do passado estão presentes no tracklist e ganham uma interpretação diferente de quando foram lançados individualmente. Mas as faixas inéditas são as que roubam a cena, mostrando como NAO consegue perpetuar sua fórmula de sucesso sem ser repetitiva. Happy traz uma boa energia sustentada por baixos dançantes e coros que trazem um refrão bastante pegajoso. In The Morning traz um tom curioso, à medida que faz beats sólidos se misturarem com um vocal reverberado, tal qual o de Kate Bush. Girlfriend nos envolve com um romantismo bruto, com a contraposição de um verso sensual e um refrão explosivo, como se fosse um verdadeiro orgasmo.

NAO traz um disco de estreia sólido, mostrando referências bem claras, evitando cair em nostalgias excessivas e compondo músicas extremamente dançantes. É um disco Pop em essência, mas que traz temperos Soul e R&B que são definitivos para a apreciação deste sabor único. Um trabalho que pode trazer interessantes perspectivas para o futuro da artista, mas dá um ponta pé inicial forte que ficará em nossa cabeça por um bom tempo.

(For All We Know em uma faixa: Girlfriend)

 2,789 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Sade, Erykah Badu, Aaliyah
ARTISTA: Nao
MARCADORES: Neo Soul, Ouça, R&B, Synthpop

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.