Resenhas

Nevilton – Sacode

Trio paranaense faz o maior candidato a “disco do coração” de 2013 com doze músicas com mais coração do que energia

5,481 total views, 1 views today

Ano: 2013
Selo: Independente
# Faixas: 12
Estilos: Indie Rock, Pop Rock, Rock
Duração: 38:45
Nota: 4.5
Itunes: http://clkuk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fsacode%2Fid609751185%3Fuo

De Verdade, o primeiro álbum da banda/músico Nevilton, vinha com uma grande coleção de ótimas faixas, mas que juntas acabavam às vezes prejudicando umas as outras. Funcionavam muito bem ao vivo, mas formavam no disco um repertório às vezes sem muito respiro, uma questão de timing mesmo, que não me deixavam ouvir o álbum em repetição, preferindo colocar as músicas em playlists ou misturadas aleatoriamente no meio de outras. Quando ouvi que o novo trabalho se chamaria Sacode, minha preocupação foi imediata de ver surgir um trabalho que teria composições boas (nisso, Nevilton já ganhou minha confiança há muito tempo) em um pique difícil de acompanhar.

E mais uma vez na história da humanidade (ou talvez isso aconteça apenas na minha vida mesmo), valeu a pena estar errado. Se tem duas coisas que me ficaram muito claras desde a primeira audição de Sacode é que ele e um álbum feito para o repeat e a outra foi que, mesmo com esse título e capa, a empolgação não é o seu tema. Esse cargo fica com o termo “coração”, provavelmente a palavra mais repetida ao longo do repertório. Não foi um disco feito para você perder o fôlego dançando, mas ganhar ânimo com músicas que sopram “vida ao coração”, assim como o amor narrado em Crônica, a faixa de abertura.

Enquanto o álbum começa assim, ele termina com “fazer o que gosta tem preço, e às vezes demora a pintar resposta de tudo já feito, mas isso só vai motivar a viver mais, a fazer mais e sempre amar tudo o que faz – e logo estará melhor”, uma constatação do que o trio tem aprendido nesses últimos anos dedicados ao ofício, ao mesmo tempo que revela um sentimentalismo sincero e pé no chão que acompanha a maior parte das músicas aqui, se mostrando também como um dos maiores aliados do carisma de Sacode.

Musicalmente, ele tem a medida certa para empolgar ao fazer um som que muitos fazem, só que Nevilton mostra que sabe fazer melhor. Ouvir Satisfação é a maior prova disso. A antepenúltima faixa vai te lembrar diversas coisas ao mesmo tempo, com um ar Pop delicioso e um solo de guitarra que acontece na hora certa, e fica a sensação de que a banda está fazendo isso muito certo. Na sequência vem outra gema: Bailinho Particular, o auge absoluto da festa que o grupo promove desta vez.

Até chegar nela, o disco foi esquentando aos poucos, mas não necessariamente na pegada. Ele vai te conquistando na simpatia, na amizade. É falando de desesperança e desilusão (em Jardineiro), de amores duradouros (Friozinho) ou de cotidianos difíceis (na faixa-título) que Sacode se mostra um bom amigo, daqueles que você quer ter por perto sempre pra te animar.

Com a duração certa para você ficar ouvindo sem parar (nenhuma faixa chega aos cinco minutos) e músicas com nomes muito fáceis de se identificar, é bem capaz que Nevilton tenha feito o novo disco do coração de muita gente, uma obra que será lembrada pela sensação boa que passa não à toa, já que tudo aqui, música e letras, é simplesmente muito bom.

5,482 total views, 2 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Darwin Deez, Los Hermanos, The Shins
ARTISTA: Nevilton
MARCADORES: Indie Rock, Ouça, Pop Rock, Rock

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.