Resenhas

No Joy – Pastel And Pass Out

Duo mostra um pouco mais da sonoridade conhecida em um curto EP que, mesmo assim, chama a atenção

1,783 total views, no views today

Ano: 2013
Selo: Mexican Summer
# Faixas: 3
Estilos: Shoegaze
Duração: 9:37
Nota: 3.5

Ainda que não tão conhecido, o duo No Joy é um nome para se ficar de olho. Jasamine White-Gluz e Laura Lloyd começaram a ganhar destaque entre os fãs de Shoegaze a partir do lançamento de seu primeiro disco, Ghost Blonde, de 2010 e, mais tarde o aclamadíssimo Wait To Pleasure, lançado em abril deste ano. Mas parece que elas ainda tinham um pouco mais para ser mostrado ao apreciadores do gênero, lançando assim um EP de apenas três faixas, intitulado Pastel And Pass Out.

O curto registro abre com Last Boss que expressa uma mudança interessante feita pela banda. Enquanto em discos anteriores tínhamos um excesso de reverb muito bem colocado, neste vemos que as garotas resolveram deixar as coisas mais secas. Não que não seja mais usado o tal efeito (longe disso!), mas a opção de trabalhar harmonias Shoegaze de uma maneira menos etérea e caótica, se revelou uma escolha interessante. Outro fator curioso é uma pausa completamente silenciosa que ocorre no segundo minuto de reprodução da música, fazendo com que tenhamos a sensação de uma ruptura brusca, mas que nos conforta rapidamente logo depois com um colchão feito de suavidade vocal e o reverb que retorna à ativa.

Starchild is Dead se aproxima mais da estética prévia do duo. Guitarras mais distorcidas do que as da primeira faixa são evidenciadas por meio de um riff contínuo que não nos entedia – justamente o contrário, nos hipnotiza mostrando um caráter transportador de realidades bem alto. Essa hipnose é um dos pontos fortes das integrantes. Mesmo trabalhando em um formato mais curto, somos aguçados diretamente a ignorar tudo ao nosso redor e ir para onde nosso subsconsciente achar conveniente. Second Spine fecha o EP, mostrando o que seria equivalente à faixa mais romântica e suave do disco. Uma batida tranquila serve de base para sustentar todos os “ooh” e “aah” cantados e a linha de violão que percorre toda a música.

É mais do mesmo, porém de uma forma muito bem executada. Uma proposta de interesse inesgotável. Não sei se devemos ficar felizes por elas mostrarem mais de sua sonoridade, ou se ficamos tristes pela brevidade do EP. De qualquer forma, vale a pena escutar.

1,784 total views, 1 views today

ARTISTA: No Joy
MARCADORES: Shoegaze

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.