Resenhas

Nobat – O Novato

Novo disco de compositor mineiro comprova sua revelância dentro da rica cena do estado

1,829 total views, no views today

Ano: 2015
Selo: Tangerina
# Faixas: 10
Estilos: Experimental, Pós-MPB, Indie Rock
Duração: 44:45
Nota: 3.5
Produção: Daniel Nunes e Nobat

Minas Gerais é um dos mistérios mais prazerosos de se desvendar dentro da música brasileira. Englobando desde os mais lendários intérpretes e compositores de Clube Da Esquina até nomes relevantes na música de hoje, como Lupe De Lupe e Jonathan Tadeu, o estado provocou interferências na cultura brasileira que foram e serão sentidas por muitos anos adiante. É claro que cada região brasileira contribui de uma maneira ou outra para a formação deste todo, mas parece que particularmente lá estamos lidando com pessoas que são natas na arte de contar as mais interessantes e intrigantes histórias. Entre esses talentosos contadores, encontramos Nobat, que cedo já mostra que integra este frutífero grupo de músicos-prosadores (e até mesmo poetas) modernos.

Produzido pelo próprio compositor e Daniel Nunes, O Novato parece ter um título irônico em que revela qualquer coisa menos o aspecto de iniciante de Nobat. Este novo trabalho mostra uma maturidade indiscutível, principalmente no que diz respeito às diferentes formas que ele tenta dar às suas narrativas. Cada acorde tece uma sensação, cada verso cantado direciona nossa percepção e cada música nos instiga a permanecer atentos e sempre alertas. Este “alerta” advém da qualidade excêntrica de Nobat em procurar sonoridades esquisitas e estranhas, no melhor sentido que estas palavras podem ter. Além disso, sua voz tece uma textura camaleônica que é percebida de diversas maneiras em cada capítulo desta grande narrativa, que sem dúvida lembra as digressões de Machado de Assis, na qual os comentários e as interpretações do autor são parte fundamental da compreensão total da obra. Ou seja, O Novato é uma narrativa que, de certa forma, revela um tanto de Nobat.

Um trabalho sem dúvida mais maduro. Nobat não é um novato e o cuidado que teve durante estes 365 dias gravando o disco revela isto. Uma obra que pode parecer que foi feita para determinados gostos, mas que, se escutada com atenção, se revela uma ótima história que explora cenários e personagens riquíssimos.

Quem são Luísa, Judith, Bruno César? O que aconteceu em Agosto? Estas perguntas fazem deste um trabalho de peso tornam Nobat um nome para se ficar de olho no futuro. Um futuro previsível de ótimos compositores mineiros, mas que encontra em cada qual uma particularidade fantástica.

1,830 total views, 1 views today

BOM PARA QUEM OUVE: Jair Naves, Deerhunter, Modest Mouse
ARTISTA: Nobat

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.