Resenhas

Perfect Pussy – Say Yes To Love

Primeiro álbum do grupo mostra muitas confissões e um enorme potencial

 2,462 total views

Ano: 2014
Selo: Captured Tracks
# Faixas: 8
Estilos: Punk, Indie Rock, Hardcore
Duração: 23:06
Nota: 3.5
SoundCloud: /tracks/128678486
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Fsay-yes-to-love%2Fid797125398%3Fuo%3D4%26partnerId%3D2003

Imagine a situação: você se encontra em um ambiente tão barulhento em que precisa gritar a plenos pulmões para ser ouvido por alguém, e, de súbito, o som para e todos ao seu redor ouvem o que estava falando, talvez algo pessoal e comprometedor. De certa forma, Say Yes To Love, disco de estreia do grupo Perfect Pussy, me passa essa mesma impressão.

A vocalista Meredith Graves se joga propositalmente nessa situação e dispara suas verdades em meio a muito barulho vindo da instrumentação extremamente carregada, deixando sua voz muitas vezes inaudível. Porém, ao isolar os vocais e focar sua atenção exclusivamente na lírica, é indiscutível o quão sincero soam suas letras e o quão natural é a forma com que a moça as grita em suas faixas.

Esse é uma obra carregada de muita dor e raiva, mas também de certo sentimento de redenção ou alivio – um bem estar ao desabafar tudo isso. Ao se entregar com tamanha confessionalidade, em pouco mais de 20 minutos distribuídos em apenas oito faixas, Graves parece, mais do que exorcizar seus demônios, usa-los como combustível para a brutalidade sonora que se torna sua música. Em suas letras, a moça fala, entre outros temas, sobre seus relacionamentos de uma forma bem crua e nada fantasiosa (como em “we make love and it doesn’t feel good” e “since when did we say yes to love?”).

As músicas parecem guiadas pelo Punk, Noise e Hardcore e se mostram cruas, potentes e volumosas, ainda sim altamente melódicas. Até caberiam comparações com bandas como Minor Threat ou mesmo Sonic Youth, mas essas influências aparecem bem diluídas em meio a todo o barulho e, sinceramente, não vejo a banda se preocupando em soar “original” ou criar algo sonoramente complexo ou inovador. A intenção aqui é dar vazão aos sentimentos da vocalista com o fundo musical mais apropriado possível e a escolha feita aqui foi certeira.

Intenso e altamente instantâneo, o álbum não deixa o volume baixar em nenhum momento, mesmo em faixas como Advance Upon the Real e VII, em que a banda parte para um lado mais Experimental e próximo ao Noise, uma “calmaria” que é bem vinda após a tempestade que dominava até então – curiosamente, elas são músicas as mais longas. Say Yes To Love é uma ótima obra estreia e se não apresenta nada sonoramente novo, tem seu como principal pilar a sinceridade e o carisma de uma vocalista que não tem medo de expor e contar sua vida ao público – algo que não todos os dias, não é?

 2,463 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Speedy Ortiz, Savages, Iceage
ARTISTA: Perfect Pussy
MARCADORES: Hardcore, Indie Rock, Punk

Autor:

Apaixonado por música e entusiasta no mundo dos podcasts