Resenhas

Pixies – Indie Cindy

Novo álbum se encontra muito distante – tanto cronológica quanto conceitualmente – da antiga banda

 3,791 total views

Ano: 2014
Selo: Pixies Music
# Faixas: 12
Estilos: Rock Alternativo, Indie Rock
Duração: 43:12
Nota: 2.0
Produção: Gil Norton
Itunes: http://clk.tradedoubler.com/click?p=214843&a=2184158&url=https%3A%2F%2Fitunes.apple.com%2Fbr%2Falbum%2Findie-cindy%2Fid839487906%3Fuo%3D4%26partnerId%3D2003

Considerando que Indie Cindy é, na verdade, uma junção dos três EPs recentemente lançados por Pixies, numa compilação que acabou se tornando o primeiro álbum completo do grupo após 23 anos, me parece justo retomar os pontos levantados em suas respectivas resenhas, além de tentar, finalmente, compreender como soam todas essas músicas agora agrupadas.

Em primeiro lugar, a grande questão inevitável a ser considerada: a saída da baixista Kim Deal. Como sabemos, ainda próximos do lançamento de EP1, Deal – a principal compositora ao lado de Black Francis – anunciou oficialmente seu desligamento do grupo, sendo substituída, a princípio, por Kim Shattuck, e, logo em seguida, por Paz Lenchantin, que permancece até agora (e foi quem deu as caras na apresentação do grupo na edição brasileira do Lollapalooza deste ano). Mas, além da fofoca e dos conflitos pessoais em si, a saída de Deal reflete em uma espécie de conforto para a sonoridade dos novos Pixies. Os contrapontos das canções e sua complexidade, de alguma forma, parece que desapareceram, deixando a sonoridade de Indie Cindy numa espécie de lugar-comum que soa sem profundidade.

Assim, aquela sujeira sarcástica e arrogante dos primeiros lançamentos da banda, irreprodúzivel para quaisquer outros que não os próprios Pixies, dá lugar a um certo tipo estranho de auto-paródia de guitarras distorcidas, como na introdução de What Goes Boom, no estranho viés Hard Rock de de Blue Eyed Hexe ou mesmo a inusitada cara de Hardcore Melódico (algo que soa como um Bad Religion no meio de carreira) de Another Toe In The Ocean. De fato, é difícil de associar a estranheza fascinante de Nimrod’s Son, o incômodo de Where’s My Mind ou a malícia de Hey a uma produção, agora, tão simples e tão fácil de assimilar.

Bagboy talvez seja a faixa mais próxima de retomar o espírito de outrora. E talvez seja justamente aqui que fique claro o principal ponto fraco de Indie Cindy: Pixies se encontra muito distante, cronológica e conceitualmente, da banda que já foi há mais de uma década. É óbvio que não é necessário soar do mesmo modo como antes, mas perder o espírito inovador, render-se à zona de conforto e às formulas prontas quase anulou a potência e a anarquia musical do grupo que foi uma referência e genial do Rock Alternativo dos anos 90, um ideal quase inatingível, a inspiração de grupos como Nirvana ou Radiohead, e assim, um marco na história da música popular.

 3,792 total views

BOM PARA QUEM OUVE: Sebadoh, The Breeders, Pavement
ARTISTA: Pixies

Autor:

é músico e escreve sobre arte