Resenhas

RAKTA – Oculto Pelos Seres EP

Banda consegue imprimir DNA de álbum antecessor e utiliza pegada mais “leve” do Pós-Punk

2,311 total views, 1 views today

Ano: 2017
Selo: La Vida Es Un Mus
# Faixas: 5
Estilos: Pós-Punk, Noise
Duração: 12'38
Nota: 4.0

O novo EP de RAKTA, Oculto Pelos Seres, preenche perfeitamente o desejo de ouvir algo mais soturno nesta época do ano. Com a ajuda de um baixo enfeitiçante, bateria sem chimbal, sintetizadores, ruídos e texturas, a banda conseguiu imprimir o DNA e essência de seu álbum antecessor, III, só que desta vez apostou também em uma pegada mais “leve” nos elementos característicos do Pós-Punk. Um exemplo disso é a instrumental Memória do Futuro, que nos faz mergulhar de cabeça em uma atmosfera escura, melancólica e não menos provocante.

Em pouco mais de doze minutos, fica evidente o cuidado para construir essa ambientação. As faixas Intro e Outro, essa que encerra o disco, parecem uma única canção dividida em duas, em que as batidas e os ruídos que lembram barulho de vento, nos prepara para uma imersão que tem seu enlaço final nas próximas músicas — uma transparência cíclica.

É interessante destacar também como a voz agourenta e expressiva de Paula Rebellato se harmoniza entre essas camadas. Em Rodeados Pela Beleza e Atrativos Da Mentira, essa combinação gera, de um modo bem particular, uma atmosfera imersiva e ritualística. É difícil imaginar outra voz, jeito e entonação que se adeque tão bem quanto a dela.

Como a própria banda já explicou, RAKTA significa “vermelhidão”. É componente de energia que produz movimento, expansão e força, que motiva a luta pela existência, além de representar a cor da paixão e o sangue menstrual. Ouvir RAKTA ou assistir suas apresentações é capaz de aguçar outros sentidos e causar diferentes sensações. A aura mística e forte de Carla Boregas, Paula Rebellato e Nathalia Viccari são transmitidas e inspiram qualquer mulher a ampliar suas resistências.

(Oculto Pelos Seres em uma música: Memória do Futuro)

2,312 total views, 2 views today

BOM PARA QUEM OUVE: In Venus, Miêta, METZ
ARTISTA: Rakta