Resenhas

Sam Smith – In The Lonely Hour

Pop sem floreios coloca a performance vocal de Smith em primeiro lugar

3,760 total views, 2 views today

Ano: 2014
Selo: Capitol Records
# Faixas: 10
Estilos: Pop, Soul Pop, R&B, Pop Eletrônico
Duração: 30:47
Nota: 3.0
Produção: Jimmy Napes, Steve Fitzmaurice, Two Inch Punch e Eg White

Sam Smith, o músico inglês de apenas 22 anos que ficou conhecido graças a algumas participações especiais em projetos hypados do ano passado, finalmente chega com seu primeiro álbum completo, intitulado In In The Lonely Hour.

Mas não espere nada próximo da cara alternativa dos singles que projetaram a carreira do rapaz (a saber, as faixas Latch com o duo Disclosure e La La La com Naughty Boy). In The Lonely Hour é um álbum Pop assumido que não se preocupa demais em florear seus arranjos e coloca a performance vocal impecável de Smith em primeiro plano sem disfarces, como gancho que segura o interesse por seu álbum do começo ao fim. Se você gosta de cantores em ótima forma, esse álbum é para você.

A produção super cuidadosa quase chega a soar artificial tamanha a preocupação em apresentar-se polida e cristalina. Além disso, o clima do álbum, diferentemente do que se poderia esperar dos singles lançados anteriormente, é romântico e mais puxado a um R&B arrastado. Fora as faixas Money On My Mind (super pegajosa), Restart (uma levadinha que se situa em algum lugar entre Prince e Chromeo) e a já conhecida La La La, que são as mais animadas e eletrônicas, o restante de In The Lonely Hour é baseado em um romantismo levado à piano, violão e violoncelo. Até a já conhecida Latch ganhou roupagem nova para figurar no mesmo estilo de suas coadjuvantes.

Música Pop sem rodeios, liderada pela voz impressionante do músico, In The Lonely Hour atesta a qualidade performática de Sam Smith, e afasta o rapaz dos experimentos eletrônicos de antes para embasá-lo no universo das baladas românticas. Repito, se você se emociona com grandes demonstrações vocais (quem não gosta?), ouça já.

3,761 total views, 3 views today

BOM PARA QUEM OUVE: SOHN, BANKS, Rhye
ARTISTA: Sam Smith

Autor:

Discreto e silencioso. Falo pouco, ouço bem, porém.