Séculos Apaixonados – Suspenso Graças Ao Princípio Da Insignificância

Terceiro disco revela fragilidades da banda com qualidade conhecida de sua discografia

605 total views, no views today

Ano: 2018
Selo: Balaclava Records
# Faixas: 8
Estilos: City Pop, Smooth Jazz, Soft Mall
Duração: 31:04
Nota: 3.5
Produção: Gabriel Guerra

É curioso como, com o passar do tempo, um artista fica cada vez mais ambicioso em suas criações. A soma de experiências e a opção de poder revisitar sua própria obra, frequentemente impulsionam um olhar mais amplo sobre as possibilidades delineadas e, às vezes, temos a impressão que isso gera trabalhos cada vez maiores. Entretanto, isso não é uma regra, mas uma dinâmica comum que pode ser desafiada por qualquer um e, no caso, quem optou por ir contra este movimento foram os cariocas da banda Séculos Apaixonados.

O grupo é conhecido por seu apego nostálgico aos anos 1980 e pode até ter mostrado uma expansão notável de sua sonoridade do primeiro disco, Roupa Linda, Figura Fantasmagórica para o segundo, O Ministério da Colocação. Mas agora, com seu terceiro disco, o que era para ser maior, ficou insignificante e, ironicamente, mais interessante.

O apego por nomes enigmáticos permanece firme em Suspenso Graças ao Princípio da Insignificância, cuja origem vem da liberação de um acontecimento na justiça de um dos integrantes, justamente pela insignificância do caso. Esta, como o leitor pode ter notado, é uma palavra chave neste disco, tanto na sonoridade quando na história da banda. Gabriel Guerra comentou em entrevista recente que chegou a questionar o rumo da banda em meio a tantos projetos paralelos e conflito de agendas, e isso transparece bastante durante as oito composições do novo trabalho.

Aqueles arranjos explosivos e exagerados dão espaço a texturas mais mansas e suaves, sem perder de vista a referência primordial da década de 80. É como se a incerteza dos caminhos de Séculos Apaixonados fosse a matéria prima para produzir um disco que zomba isso de uma forma irônica. Ou seja, aquilo que poderia destruir a banda é o que dá combustível para que ela siga. Misteriosa e brega como a novela Vamp, o disco começa com Hoje É O Nosso Aniversário, uma música que se mostra quase como um lamento da idade da banda. Os conhecidos vocais sedutores e quase spoken word cedem espaço para uma melodia repleta de chorus e mais Pop em Faça Um Pedido, dando sequência àquele sentimento melancólico que a banda tanto domina. O Que Está Acontecendo? dá uma animada no humor dançante mas não tanto, a fim de que o ouvinte entenda ainda a insignificância que a banda está sentindo. Por fim, A Condição Do Curioso é a derradeira balada no piano que todo disco dos anos 80, lembrando um Eduardo Dussek Vaporwave.

O terceiro trabalho de Séculos Apaixonados traz uma ironia viva que mantém o ouvinte praticamente em transe durante sua reprodução. É uma maneira interessante que o grupo encontrou para se manter vivo, sem perder sua essência. Um disco de ambição baixa e boa qualidade.

(Suspenso Graças ao Princípio da Insignificância em uma faixa: Faça Um Pedido)

606 total views, 1 views today

Autor:

Designer frustrado, julgador de capas de discos e odiador daqueles que põem o feijão antes do arroz.