Resenhas

Single Parents – Unrest

Em seu álbum de estreia, o trio paulistano reuniu composições muito boas, mas que acabaram ficando muito parecidas entre si, o que pode fazer com que alguns ignorem a qualidade desse trabalho com uma sensação de “mesmice”

2,667 total views, no views today

Ano: 2012
Selo: Popfuzz Records
# Faixas: 13
Estilos: Indie Rock, Rock Alternativo
Duração: 01:05
Nota: 3.0
Produção: Roger Paul Mason
Livraria Cultura: 29732177

Os paulistanos Fernando, Anderson e Rafael, que compõem a Single Parents, gravaram entre Brasil e Estados Unidos seu primeiro álbum, Unrest, que revela mais do som que inaugurou com o EP Could You Explain, de 2010.

Beginning of Your Rage abre bem o disco, completinha, com uma levada gostosa de ouvir e a surpresa de um acompanhamento de cordas adicionado à mistura voz-guitarra-baixo-bateria, passando por alguns momentos diferentes entre si, que fazem a música de quase seis minutos parecer mais de uma faixa. Em seguida, vem Stop Waiting (For Me Now), usada como divulgação do álbum e que aparece aqui também cumprindo todos os requisitos para a banda ser elogiada, repetindo a pegada da primeira faixa, mas com cordas maior empolgação, cordas mais discretas e em um tempo mais curto. Tudo muito legal até agora.

Daí pra frente, você já pode saber se gostou do disco ou não. É que as próximas onze faixas não vão ser muito distintas do que já foi apresentado, o que pode desagradar alguns. São músicas boas e bem produzidas, mas todas com uma grande semelhança entre si. O formato de trio é bem explorado pelos rapazes, mas as próprias composições podem ser muito parecidas pra alguns gostos.

Se mesmo curtindo a pegada você quiser algumas diferentes, Unrest oferece algumas canções mais rapidinhas, como a sequência Aged Deadbeat e Jaunt Ends, Free Fate, ou com um pouco mais de peso, por exemplo Out of Sight e Ecstatic Pleasures – que encerra o disco com uma música escondida levada no violão, violino e percussão da meia lua.

Ter uma coesão tão exacerbada no primeiro álbum pode ajudar o trio a firmar sua identidade, só corre o risco deles serem lembrados não pela qualidade do seu som, mas justamente pela sensação de “mesmice” que alguns podem ter ao experimentar Unrest.

2,668 total views, no views today

BOM PARA QUEM OUVE: Tribes, The Maccabees, Câmera

Autor:

Comunicador, arteiro, crítico e cafeínado.